I Jogos de Celebração e V encontro de Culturas Indígenas do Acre são lançados na Expoacre Juruá

Eventos reunirão mais de 400 índios no mês de outubro, na aldeia Barão, há 18 quilômetros de Mâncio Lima

dsc_0177_0101.jpg

Encontro e Jogos prometem fomentar a atividade do etno-turismo no Acre (Foto: Gleilson Miranda / Secom)

Um grande encontro entre os povos indígenas do Acre será promovido de 10 a 14 de outubro na Aldeia Barão, terra indígena Puyanawa, localizada no município de Mâncio Lima. O motivo é o I Jogos da Celebração e o V Encontro de Culturas Indígenas do Acre, que será realizado pela primeira vez em uma terra indígena.

Os eventos, lançados na noite desta sexta-feira, 29, na Expoacre Juruá, que acontece na Avenida Coronel Mâncio Lima, em Cruzeiro do Sul, reunião 410 índios das 15 etnias do Estado. A coordenação geral está sendo realizada pela Secretaria de Esporte, Turismo e Lazer (Setul), Assessoria dos Povos Indígenas, Fundação de Cultura e Comunicação Elias Mansour (FEM), Deracre, e apoio do Corpo de Bombeiros, prefeitura de Mâncio Lima e Funasa.

Os recursos para a realização dos eventos são do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Governo do Estado. Os Jogos de Celebração e o Encontro de Culturas Indígenas tem o intuito de fomentar a valorização da cultura indígena, a integração entre os povos das diferentes etnias e as comunidades. A iniciativa vai de acordo com a política desenvolvida pelo Governo do Estado no que diz respeito a cultura e ao etno-turismo.

O secretário de Turismo, Esporte e Lazer, Cassiano Marques, ressalta que o os jogos e o encontro são oportunidades que o Acre tem para o desenvolvimento do etno-turismo com base comunitária, fortalecendo a renda dessa população e compartilhando a sabedoria da floresta com turistas que tem interesse no conhecimento tradicional e cultural, e também para os próprios acreanos conhecerem e valorizarem mais de sua cultura e história. “Essa proposta está inserida em uma das nossas rotas, que é Caminhos da aldeia e da biodiversidade”, diz.

Cultura acreana – O presidente da FEM, Daniel Zen, ressalta também que desde o I Encontro de Culturas Indígenas, que houve uma importante contribuição para o resgate da cultura indígena, que estava adormecida e agora tem a iniciativa dos próprios índios, inclusive, com a realização de festivais. Segundo ele, isso reflete como resultado de uma política pública de valorização dos povos indígenas.

Eventos – Na escolha da terra dos Puyanawas para a realização de acordo com o assessor de Povos Indígenas, Francisco Pinhanta, foi levado em consideração as condições do lugar, a localização, o acesso e a organização dos índios. Ele diz que os índios dessa etnia vivem há cinco anos, um processo de resgate e valorização de sua cultura. “Estamos lutando pela nossa identidade, o fortalecimento de nossa cultura. Estamos felizes por esses eventos serem em nossas terras e vamos receber todos, índios e brancos, de coração aberto”, ressalta o cacique Puê Puyanawa.

A população Puyanawa está estimada em 563 indígenas, distribuídos em uma área de 24.448 hectares de terra demarcada.