Hemoacre estimula doação de medula óssea

Amostras são enviadas ao laboratório para análise das características genéticas do doador (Foto: Diego Gurgel)
Amostras são enviadas ao laboratório para análise das características genéticas do doador (Foto: Diego Gurgel/Secom)

O transplante de medula óssea é a única esperança de cura para muitos portadores de leucemias e outras doenças do sangue. De acordo com o Hemoacre, o número de doadores no estado ainda é pequeno e a falta de informação é apontada como uma das causas.

O Hemoacre quer aumentar o número de doadores por meio de campanhas de esclarecimentos que possam conscientizar a sociedade sobre a importância de ser um doador.  “Nós precisamos mostrar para as pessoas que assim como a doação de sangue, a doação de medula óssea é um ato de solidariedade, que pode salvar vidas”, destaca Marlice Aquino, gerente de captação do Hemoacre.

Quem pode ser doador

Qualquer pessoa entre 18 e 55 anos, gozando de boa saúde, pode ser doador de medula óssea. É necessário comparecer ao Hemoacre com documento original com foto, preencher um formulário com dados pessoais e doar 5 ml de sangue. Essa amostra determina as características genéticas que são necessárias para a compatibilidade entre o doador e o paciente. “Esse exame é realizado em Goiânia, os resultados ficam no banco de dados do Instituto Nacional do Câncer, o Inca, que é quem faz a triagem entre doadores e receptores”, explica Marlice Aquino.

O Hemoacre funciona de segunda a sábado, das 7h15 às 17h40, na Avenida Getúlio Vargas, 2.767, ao lado do Teatrão.