Governo realiza sobrevôo para identificar focos de calor e desmate

Atividade faz parte da Operação Linha Fria desenvolvida pelo Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Exército, Semeia e Imac

A situação está sob controle e os índices registrados de focos de calor e desmate estão diminuindo a cada ano. A avaliação foi feita por técnicos do Instituto do Meio Ambiente do Acre (Imac) após sobrevôo realizado na sexta-feira, 5, nas regiões dos municípios de Rio Branco, Acrelândia, Bujari, Senador Guiomard, Plácido de Castro e Sena Madureira.

A operação começou logo no início da manhã com a análise dos dados oferecidos via satélite, que permitem identificar a existência de focos de calor. As variáveis ambientais, como a umidade relativa do ar e os índices pluviométricos também servem de balizamento para que o trajeto de sobrevôo seja definido.

De acordo com o representante do Departamento de Fiscalização e Monitoramento do Imac, Kemmil Lima, as áreas que apresentam o maior número de focos de calor concentram-se na região de Acrelândia e de Sena Madureira. “Essas áreas continuam sendo mais delicadas. Nosso maior problema agora é a queima de pasto, já que o desmate está sob controle”, disse Kemmil.

Os dados coletados a partir do sobrevôo são repassados às equipes que estão em campo. Eles visitam as propriedades indicadas para avaliar se o incêndio foi acidental ou criminoso. Os sobrevôos fazem parte das ações que estão sendo desencadeadas durante a Operação Linha Fria. Desde a manhã de quinta-feira, 4, 20 equipes percorrem a região do Alto e Baixo Acre, Tarauacá-Envira, Purus e Juruá com o objetivo de fiscalizar, coibir e combater queimadas durante o feriado prolongado, período em que, tradicionalmente, mais se queima na região. A ação é uma parceria entre Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Exército, Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semeia) e Instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac).

“Estamos unindo esforços para diminuir a incidência de queimada e de desmate no Acre”, destacou João Aníbal, chefe do Departamento de Educação Ambiental do Imac.

As atividades de fiscalização e de monitoramento são complementares as ações de educação ambiental promovidas pelo Imac com a formação de agentes ambientais voluntários, e também com o fortalecimento dos núcleos de combate às queimadas nos municípios com o treinamento e a distribuição de kits. Além disso, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Extensão Agroflorestal e de Produção Familiar (Seaprof), atua em parceria com os produtores na ampliação das práticas agrícolas alternativas ao uso do fogo. Cerca de dois mil agricultores já utilizam as leguminosas ao invés de queimar.