Governo lança formação técnica para o desenvolvimento do turismo no Acre

Cursos começam amanhã e vão qualificar 500 trabalhadores em nove áreas

curso_turismo_01_0710.jpg

Estado investe R$ 170 mil no projeto. Cursos têm duração de 100 a 180 horas (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

O Governo do Acre lançou nesta terça-feira, 7, o Projeto Formação de Trabalhadores para o Desenvolvimento  do Turismo, cujo objetivo é qualificar 500 trabalhadores de Rio Branco, Brasiléia, Epitaciolândia, Assis Brasil e Cruzeiro do Sul em nove principais ocupações demandadas pelo mercado de trabalho na cadeia produtiva do turismo no Estado: camareira e governanta, recepção de hotéis e pousadas, elaboração de projetos em turismo, condução de visitantes em áreas naturais e espaços públicos, planejamento de trilhas e interpretação ambiental e conversação em espanhol. O Estado investe R$ 170 mil no projeto. Os cursos têm duração de 100 a 180 horas  (entre dois e três meses) e quatro deles começam nesta quarta-feira, 8.

São executores a Secretaria de Esporte, Turismo e Lazer (Setul) e o Instituto Dom Moacyr, em parceria com organizações governamentais e não-governamentais, como o Sebrae, fundações Elias Mansour e Garibaldi Brasil, Associação Brasileira das Agências de Viagem (Abav), Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Associação Brasileira da Indústria Hoteleira  (ABIH) e Cooperativa dos Profissionais de Turismo do Acre (Aruakretur).

De acordo com a Gerência de Projetos do Instituto Dom Moacyr, no Acre o turismo vai aos poucos se consolidando como estratégia de desenvolvimento econômico sustentável com a instalação  de novas pousadas ecológicas, restaurantes e agências de viagens. De outro lado, a Estrada do Pacífico projeta um aumento do fluxo de turistas, o que demandará não somente a expansão da oferta de serviços nos vários ramos como também a qualificação no atendimento em padrões que satisfaçam as necessidades do turista brasileiro e estrangeiro.

Além dos trabalhadores envolvidos nas atividades selecionadas, serão beneficiados diretamente os empreendimentos envolvidos, como bares, restaurantes, hotéis, pousadas e outros.

Para Maria Corrêa, secretária de Educação, a relação custo-benefício de um curso de capacitação profissional é muito positiva porque, em sua opinião, a formação tem capacidade de gerar grandes transformações.  "Investimento é de grande importância e estamos só iniciando todo um processo", afirmou a secretária. "Queremos receber cada vez melhor nossos visitantes", completou Cassiano Marques, da Setul.

Para o presidente da Abav, José Morais, não apenas a infra-estrutura de que o Acre vem sendo dotado, como também o setor humano tem de estar preparado para o crescimento do turismo na região. E na avaliação do presidente da Fundação Elias Mansour, Daniel Zen, turismo e cultura são indissociáveis: "É do conhecimento de todos que cultura e turismo andam de mãos dadas".

A presidente da ABIH, Síglia Abraão, ressaltou a importância dos cursos no contexto do turismo. "Nesse setor, nós precisamos aprender a servir", disse.

Guia vê evolução das rotas turísticas como amadurecimento do setor

curso_turismo_04_0710.jpg

Ana Lúcia comenta que turismo no Acre apresenta avanços (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

Ela se formou em História pela Universidade Federal do Acre e há dez anos concluiu o curso  de guia de turismo pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). Trabalha por conta própria, atendendo  estrangeiros que passeiam por Rio Branco, sendo remunerada em cerca de R$ 500 ao mês. É uma complementação ao trabalho no serviço público.

Para a experiente Ana Lúcia, muita coisa mudou ao longo de uma década. Recentemente, a introdução de novos produtos  é o mais importante diferencial. "Agora temos o que mostrar. Antes, ficávamos buscando uma coisa daqui, outra dali", disse. Nesse novo contexto, o que mais atrai a atenção dos turistas é de fato a rota Caminhos de Chico Mendes, que narra a saga do ambientalista assassinado por sua luta em defesa da floresta.

Governo já qualificou 12 mil  e mantém expansão do ensino técnico

curso_turismo_02_0710.jpg

Nos últimos anos educação profissional recebeu investimentos em cerca de R$ 10 milhões (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

A educação profissional recebeu nos últimos anos recursos que somam cerca de R$ 10 milhões. De acordo com Irailton Lima, presidente do Instituto Dom Moacyr, pelo menos 12 mil trabalhadores foram formados e especializados ao longo dos últimos anos – e esse processo, segundo Lima, tem de continuar: "Precisamos mudar o perfil da nossa força de trabalho", disse, lembrando que o governador Binho Marques mantém consistentes os investimentos no ensino profissionalizante.

De parte do Governo do Estado, estão sendo construídas quatro novas unidades em Plácido de Castro, que atenderá o Vale do Abunã, e Feijó, beneficiando Tarauacá e Jordão. Ali, será aproveitada a estrutura da antiga Escola Agrícola; e a reforma e ampliação do Ceflora, em Cruzeiro do Sul, cujo espaço saiu de 400 metros quadrados para 1,6 mil.

O Ministério da Educação está construindo três outras escolas técnicas em Rio Branco, Sena Madureira e Cruzeiro do Sul. 

Cursos do projeto 

– Formação de Camareiras e Governantas para 110 trabalhadores de hotéis e pousadas em Brasiléia, Epitaciolândia, Cruzeiro do Sul e Rio Branco.

– Formação em Recepção de Hotéis e Pousadas para 90 trabalhadores do setor hoteleiro de Epitaciolândia, Cruzeiro do Sul e Rio Branco.

– Formação em Condução de Visitantes em Espaços Naturais para 60 trabalhadores de parques e áreas naturais em Cruzeiro do Sul e Rio Branco.

-Formação em Planejamento de Trilhas  e Interpretação Ambiental para 60 trabalhadores de parques e áreas naturais em Cruzeiro do Sul e Rio Branco.

– Formação em Planejamento de Trilhas e Condução de Visitantes em Áreas Naturais para 30 trabalhadores de parques e áreas naturais em Assis Brasil.

– Conversação em Espanhol com Turista Estrangeiro para 60 trabalhadores do setor turístico em Rio Branco.

– Elaboração de Projetos e Captação de Recursos na Área de Turismo para 30 trabalhadores em atividades em cooperativas e setor público de Rio Branco.

– Condução de Visitantes em Espaços Públicos para 60 trabalhadores em atividade na área em Rio Branco.