Governo inicia mecanização no Projeto de Desenvolvimento Sustentável Baixa Verde

Comunidade se reúne e define processo que vai garantir cultivo de 422 hectares

kjdfk.jpg
lkhds.jpg

A mecanização agrícola no Projeto de Desenvolvimento Sustentável Baixa Verde iniciou no sábado, 8, após deliberação da comunidade durante reunião com o secretário de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar, Lourival Marques, e com o superintendente do Incra, João Thaumaturgo Neto (Foto:Assessoria Seaprof)

A mecanização agrícola no Projeto de Desenvolvimento Sustentável Baixa Verde iniciou no sábado, 8, após deliberação da comunidade durante reunião com o secretário de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof), Lourival Marques, o superintendente do Incra, João Thaumaturgo Neto. No total serão mecanizados 461 hectares para cultivo coletivo de milho e cultivo individual de outras culturas.

Participaram da reunião na comunidade também o representante da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Evandilson Silva, o secretário de Pequenos Negócios, José Carlos Reis e dirigentes de associações e sindicatos rurais.

O Termo de Cooperação Técnica para Implantação do Programa de Mecanização Agrícola no PDS Baixa Verde foi assinado entre a Superintendência Regional do Incra no Acre e a Secretaria de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof) para garantir a mecanização em 250 hectares que vai beneficiar 211 famílias assentadas. Essa área, que é explorada de forma comunitária, vai ser utilizada para o plantio de milho.

O secretário da Seaprof, Lourival Marques explicou que além dessa área de produção coletiva também será mecanizado um hectare para cada uma das 211 familias. “Dessa forma será mecanizado 461 hectares aqui no Baixa Verde”, conclui. A cooperação técnica assegura desde preparação do solo até a assistência técnica para o plantio, bem como a colheita mecanizada e o armazenamento.

“O aumento da produção de alimentos é o objetivo da parceria entre o governo Federal e Estadual”, disse Thaumaturgo Neto, destacando que o PDS Baixa Verde é um novo modelo de assentamento que prioriza a agricultura familiar focando na atividade produtiva de forma coletiva

Para Lourival Marques ações como esta são terminantes para que as famílias de produtores rurais de fato concretizem seus sonhos de sustentabilidade. “”Programa de Mecanização Agrícola está sendo implantado em todo o Estado e os resultados são significativos para a agricultura familiar”, garante Lourival Marques.

Investimento em Agroindústrias

O secretário de Pequenos Negócios, José Carlos Reis participou da reunião com os assentados do PDS Baixa Verde e anunciou a implantação de uma agroindústria de frango, ou seja, um abatedouro de frangos.

kjdbas.jpg

Mais de 200 famílias serão beneficiadas pela mecanização (Foto:Assessoria Seaprof)

“O PDS conta com a vantagem da localização, distante 25 quilômetros de Rio Branco, capital do Estado. Isto é fator positivo para a implantação de pequenos negócios”, exlica José Carlos Reis.

A presidente da Associação de Produtores do Nova Baixa Verde, Fátima Pedrosa Maciel, reivindica também atividades voltadas para as mulheres da comunidade e já agendou uma reunião com José Carlos Reis.

“Sem o apoio do governo não teríamos como plantar. É bem oportuna esta ação do Estado”, disse Fátima Maciel que lembra que 23 assentados já participam do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e outros 25 estão em fase de cadastramento. “Com a mecanização vamos poder ampliar nossa produção”, finaliza.