Governo inaugura estação de melhoramento genético animal nesta sexta-feira

Unidade irá produzir embriões em escala de animais para corte e produção de leite

dsc_0468.jpg

O rebanho bovino do Acre será muito melhorado a partir do laboratório. Foto: Sérgio Vale/Secom

O Governo do Acre inaugura nesta sexta-feira, 11, às 9h, a  Estação de Melhoramento  e  Difusão de Genética  Animal (Emdga), na sede da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Construída com apoio do Governo Federal, a unidade custou mais de  R$1,1 milhão.  Esse  programa é resultado de parceria entre as  Secretarias de Agropecuária (Seap), Planejamento (Seplan) e Embrapa, com apoio tecnológico do Centro Nacional de Recursos Genéticos (Cenargen/Embrapa/DF). A unidade conta com recursos do Programa de Desenvolvimento Sustentável do Acre (contrato BID 1399/OC-BR).

Está localizada nas dependências da Embrapa, e é  composta de escritório, laboratório, curral, tronco, brete pastagem e alojamento. A equipe técnica é formada por  médicos veterinários, agrônomos, biólogos, técnicos administrativos e de laboratório, secretária, gerente operacional,  além de pessoal de campo, os tratadores.

Para a implantação da Emdga foram adquiridas 25 fêmeas da raça Gir leiteiro, selecionadas por pesquisadores da Embrapa-Gado de Leite, em Minas Gerais,  e do Cenargen (DF), possuidoras de comprovado potencial genético para servirem de matrizes produtoras de embrião. A partir dessas matrizes, serão produzidos embriões em larga escala e, embriões assim obtidos serão levados às propriedades onde serão transferidos para vacas receptoras previamente preparadas para recebê-los. No processo de produção de embriões, caso o número de embriões produzidos seja superior ao número de receptoras preparadas, estes serão congelados e implantados em outras matrizes, posteriormente selecionadas.

embrapa_900.jpg

Fachada do laboratório: tecnologia de ponta. Foto: Sérgio Vale/Secom

A Estação conta com equipamentos de última geração para realização reprodução em animais silvestres, bovinos de leite e corte com grande potencial genético e valor econômico. Irá atender cerca de 400 produtores até 2010, propiciando ao rebanho bovino leiteiro do Acre animais de alto padrão genético e custo acessível.

Ao melhorar a genética animal, a unidade propiciará o aumento da renda das famílias rurais envolvidas com a cadeia do leite e da carne bovina, por meio da elevação do potencial genético do rebanho, bem como promover o uso e conservação de espécies silvestres, empregando  a biotecnologia da reprodução.

De acordo com a Seap, os produtores serão selecionados desde que aceitem cumprir o contrato de parceria com a Emdga, segundo critérios previamente estabelecidos e também esteja vinculado a alguma associação ou grupo organizado. Serão priorizados os produtores de leite que estejam em atividade e que cumpram os requisitos do projeto.