benefício

Governo entrega mais de R$ 700 mil em equipamentos no município de Assis Brasil

Dois programas de governo beneficiam cooperativa com agroindústria e indígenas recebem equipamentos previstos no Planos de Gestão Ambiental e Territorial em Terras Indígenas

O governo, por meio da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e das Políticas Indígenas (Semapi), entregou mais de R$ 700 mil em equipamentos no município de Assis Brasil. Será a primeira agroindústria instalada na cidade, com equipamentos que poderão profissionalizar o beneficiamento de polpas de frutas. Lideranças indígenas da região também serão contempladas com os acordos firmados dentro do Plano de Gestão Ambiental e Territorial em Terras Indígenas (PGTI).

Governo entregou mais de R$ 700 mil em equipamentos no município de Assis Brasil. Foto: Cedida

A Cooperativa Agroextrativista de Assis Brasil (Coopeab) vai implementar uma agroindústria no município, com investimento de R$ 191.173,00 do Programa de Desenvolvimento Sustentável da Amazônia (PDSA II) do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Também serão entregues equipamentos para duas terras indígenas da região, a Cabeceira do Rio Acre e a Mamoadate, com investimentos de R$ 551.007,30 do Programa de Saneamento Ambiental e Inclusão Socioeconômica do Acre (Proser) do Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird).

Para o secretário da Semapi, Israel Milani, a ação do governo no município reforça o compromisso de investir nas comunidades que moram no interior do estado.  Foto: Cedida

Para o secretário da Semapi, Israel Milani, a ação do governo no município reforça o compromisso de investir nas comunidades que moram no interior do estado. “Nós andamos muito, ouvimos os anseio das comunidades rurais e populações tradicionais, traçamos um diagnóstico detalhado e agora estamos entregando os equipamentos. É gratificante saber que estamos concretizando mais esse benefício para a regional do Alto Acre”, comentou.

O prefeito de Assis Brasil, Jerry Correia, elogiou a atitude do Meio Ambiente do governo em investir no desenvolvimento do município por meio da agricultura familiar. “As pessoas querem trabalhar, querem ter dignidade e principalmente precisam que nós gestores públicos acreditemos nelas”, disse o prefeito Jerry.

Também serão entregues equipamentos para duas terras indígenas da região, a Cabeceira do Rio Acre e a Mamoadate, com investimentos de R$ 551.007,30 Foto: Cedida

A deputada federal Vanda Milani prestigiou a solenidade de entrega. “O Meio Ambiente tem que pensar também nas pessoas, no homem que vive nas florestas. Fico honrada em fazer parte desse projeto que trabalha pelo desenvolvimento sustentável do Acre”.

Pelo PDSA/BID estão sendo entregues 1 câmara fria, 3 mesas inox para preparo de alimentos, 2 balanças eletrônicas digitais, 1 motobomba, 3 despolpadoras de frutas, 1 embaladora de alimentos, 2 seladoras automáticas, 2 seladoras de pedal e 2 descascadores de arroz.

Governo investe no desenvolvimento do município por meio da agricultura familiar. Foto: Cedida

Já pelo Proser/BIRD são 18 motores de 13 hp a gasolina, 1 kit de placa solar, 1 motobomba, 17 carrinhos de mão, 15 cavadeiras articuladas, 24 limas chatas, 13 serrotes, 19 botas, 1 motobomba, 10 martelos, 1 máquina de soldar, 20 facões, 7 roçadeiras, 1 kit de casa de farinha, 3 caixas-d’água, 1 trilhadeira de arroz.

Placas solares

Em dezembro de 2021, o governo instalou um sistema completo de energia solar na Aldeia dos Patos, na Cabeceira do Rio Acre, com investimento de mais de R$ 400 mil do Proser/BIRD. A localidade com aproximadamente 248 famílias, encontra-se distante a 12 horas de barco do município de Assis Brasil, e com o apoio do governo, a comunidade conquistou esse importante benefício.

Os PGTI’s, implementados pela Semapi, auxiliam as comunidades a alcançarem seus objetivos, atendendo as suas necessidades básicas e ainda fortalecem a sustentabilidade destes povos mantendo as características culturais.

Os PGTI’s, implementados pela Semapi, auxiliam as comunidades a alcançarem seus objetivos, atendendo as suas necessidades básicas  Foto: Cedida

De acordo com o secretário Milani, “este instrumento teve como base metodológica as características a partir do etnozoneamento das comunidades, por meio de reuniões participativas, onde foram registrados os acordos internos de cada necessidade descrita, observando a autonomia indígena e considerando as especificidades de cada povo, respeitando a diversidade cultural, que dará suporte para o financiamento de recursos do Proser”.

O PGTI surge de um instrumento de diagnóstico e planejamento dos povos indígenas para a gestão dos seus territórios, elaborado de forma participativa, para contribuir com a autonomia indígena. É um instrumento de inclusão dos povos indígenas na política de governo, para que possuam a oportunidade de desenvolver e integrar na cadeia de valor que necessitam para a subsistência das aldeias.

Sobre a Coopaeb

A cooperativa foi criada em 2006 e tem como principal atividade a compra e beneficiamento da borracha nativa e de cultivo, além da castanha. Com os equipamentos entregues pelo Estado, ele vai investir no beneficiamento do açaí, caju, cajá, graviola, acerola, maracujá, cupuaçu, abacaxi, goiaba e laranja.

O presidente da cooperativa, José Rodrigues de Araújo, mais conhecido como De Araújo, agradeceu ao governo. “O esforço do secretário Israel Milani deve ser reconhecido porque ele viu nosso potencial. Vamos dar andamento a um projeto que já vem dando certo, em busca da melhoria econômica da nossa gente e da nossa região”, disse.