Parceria

Governo e Organização das Cooperativas Brasileiras preparam acordo para o agronegócio

Fortalecer instituições de fomento e ajudar o produtor rural acreano a fazer parte de um agronegócio forte são os principais pontos de uma nova parceria que surge entre o governo do Estado, a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB-AC) e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/AC), que preparam um termo técnico de cooperação para o setor.

A Secretaria de Produção e Agronegócio (Sepa) e a secretaria de Indústria, Ciência e Tecnologia (Seict) estão à frente da organização do termo, que deve ser assinado nos próximos dias e que também incluirá Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf), Companhia de Armazéns Gerais e Entreposto do Acre (Cageacre) e a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater).

Com o termo, haverá criação de convênios, programas, projetos e ações voltadas ao setor rural Foto: Samuel Bryan/Secom

A reunião nesta sexta-feira, 6, foi para definir o os detalhes do termo que vai incluir cessão de pessoas, equipamentos e veículos entre OCB e governo junto a criação de convênios, programas, projetos e ações voltadas ao setor rural.

“Desde que assumi o cargo, a OCB nos procurou com o intuito de ser uma parceira no desenvolvimento do agronegócio no Acre. Firmamos um acordo semelhante com o Sebrae recentemente que tem sido muito importante e este com certeza acrescentará muito mais no âmbito de realizar um trabalho de maior alcance com o homem do campo”, conta Edivan Azevedo, secretário de Produção e Agronegócio.

O presidente da OCB/AC, Valdomiro Rocha, destaca que as cooperativas de crédito já possuem associados em todos os municípios do Acre e que é hora de fortalecer as políticas públicas para que esses produtores rurais possam crescer e ir muito além no mercado.

“Estamos nos unindo para melhorar o desempenho de quem produz na área rural e quem industrializa no meio urbano. Assim, vamos poder apoiar o setor público, trazendo tecnologias  e inovações de qualquer estado do Brasil, porque todo o sistema da OCB vai fazer parte indiretamente desse acordo”, destaca Valdomiro.

Um dos organizadores do termo, o secretário de Indústria, Ciência e Tecnologia, Anderson Abreu, completa: “O governo do Estado entende que é de suma importância trazer mais uma opção de apoio para quem quer investir e crescer no setor produtivo do Acre. Essa união é essencial pela geração de emprego e renda, o que vai melhorar todos os nossos índices sociais”.