Governo e Ministério Público fortalecem ações no combate à dengue

Os moradores que oferecerem resistência ou dificultar o trabalho dos Agentes de saúde poderão ser notificados pelo Ministério Público

A secretária de Estado de Saúde, Suely Melo e a promotora do Ministério público Estadual, Mery Cristina, concederam uma coletiva na tarde dessa segunda-feira, 21 e falaram sobre a parceria entre o Governo do Estado e o Ministério Público no combate a dengue (Foto:Assessoria Sesacre)

A secretária de Estado de Saúde, Suely Melo e a promotora do Ministério público Estadual, Mery Cristina, concederam uma coletiva na tarde dessa segunda-feira, 21 e falaram sobre a parceria entre o Governo do Estado e o Ministério Público no combate à dengue (Foto:Assessoria Sesacre)

A secretária de Estado de Saúde, Suely Melo e a promotora do Ministério público Estadual, Mery Cristina, concederam uma coletiva na tarde dessa segunda-feira, 21 e falaram sobre a parceria entre o Governo do Estado e o Ministério Público no combate à dengue.

Suely ressalta que hoje o maior foco do Aedes Aegypti é nas casas, ou seja, as pessoas não estão se dando conta de que é preciso que todos façam a sua parte, tomem conta de seus quintais para que não acumulem lixo que possa reter água e manter suas caixas d’águas tampadas.

De acordo com a Promotora de Justiça do Meio Ambiente, Mery Cristina, o Ministério Público e o governo do Acre juntos irão fortalecer ainda mais o combate a dengue, para que não se torne uma epidemia comparada com o ano de 2010.

“Aquele morador que oferecer resistência, não adotar as medidas e cuidados orientados pelos agentes em saúde e não limpar os seus terrenos será notificado, e se mesmo assim não resolver, iremos levar o caso para o juizado especial. A secretaria irá fornecer o endereço ao MP daqueles que não colaborarem com os agentes e então iremos tomar as medidas legais”, enfatiza Cristina.

“Desde o início do ano o governo do Acre já investiu mais de 1 milhão de reais para o combate a dengue, bem como na compra de capas de caixas d’águas, equipamentos para os agentes em saúde e recentemente uma a parceria com o Deracre e Semsur, na terceira etapa da guerra contra a dengue, está possibilitando a retirada de entulhos das casas que possam acumular água e serem possíveis criadouros de larvas do mosquito. O problema é que as pessoas não estão compreendendo e colocando podas de árvores e outro tipo de lixo que não acumulam água, isso dificulta o trabalho das equipes que estão empenhadas na guerra contra a dengue”, explica a Secretária Suely Melo.

A secretária faz um apelo à população para que colabore com os agentes de saúde, deixando entrar em sua casa para verificar se há existência de criadouros do mosquito da dengue, seguir as orientações dos agentes e quando as equipes de retirada de entulhos estiverem nos bairros colocar em frente à residência somente entulhos que possam acumular água.