Governo do Estado recebe plano de reconstrução de Brasileia para análise

Tião Viana reforçou que mesmo após o desastre ambiental, Brasileia vive uma revolução em sua economia (Foto: Sérgio Vale/Secom)
Tião Viana reforçou que, mesmo após o desastre ambiental, Brasileia vive uma revolução em sua economia (Foto: Sérgio Vale/Secom)

O governador Tião Viana recebeu na tarde desta sexta-feira, 22, o prefeito de Brasileia, Everaldo Gomes, junto com vereadores do município e a deputada estadual Leila Galvão, para apresentar o Plano de Reconstrução de Brasileia. Entre os investimentos de recuperação e a necessidade de casas para atender a população de áreas de risco, o plano apresenta um valor global de mais de R$ 54 milhões. O prefeito Everaldo recorrerá principalmente ao governo federal para angariar recursos, e o governador Tião Viana prometeu analisar o projeto para ajudar como for possível.

“Brasileia está passando por um momento muito sofrido em sua infraestrutura, mas também testemunhando uma revolução econômica. Iremos analisar muito bem esse plano. Eu quero deixar a cidade em uma condição muito melhor em quatro anos”, disse o governador Tião Viana, ao lembrar como a região do Alto Acre vem recebendo novos investimentos principalmente na suinocultura, na avicultura e na bacia leiteira.

O prefeito Everaldo agradeceu todos os esforços do governo no momento difícil de Brasileia, durante a alagação que deixou 90% da área urbana do município debaixo d’água durante a cheia histórica no começo do ano. “Este é o momento de nos unirmos em torno da população da cidade. Sabemos que é um momento difícil para o país na economia. Por isso eu venho pedir com muito carinho que o governador avalie esse plano e veja o que pode ser feito por Brasileia”, disse.

Entre os pedidos de apoio feitos ao governador, um está relacionado à disponibilidade da usina de asfalto para as demandas do município. A nova ponte de Brasileia também entrou em pauta. Promessa de Tião Viana para o município, ele atentou que os planos precisarão ser adiados, pois, após a nova cheia, um novo projeto precisará ser feito. A deputada Leila Galvão ressaltou: “Nós também queremos agradecer, porque sofremos muito com o que passou, mas no momento que mais precisamos o Estado estendeu as mãos”.