Conscientização

Governo do Acre lidera caminhada pela valorização e dignidade das mulheres

Em alusão ao Mês da Mulher, o governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado da Mulher (Semulher), realizou na manhã desta segunda-feira, 25, em Rio Branco, uma caminhada pela valorização das mulheres, pela sua dignidade e respeito à sua vida. O evento, que reuniu centenas de pessoas, principalmente jovens de escolas da capital, foi comandado pelo governador Gladson Cameli e pela secretária da Mulher, Márdhia El-Shawwa.

Caminhada reuniu centenas de pessoas em Rio Branco. Foto: Diego Gurgel/Secom

Em Rio Branco, a concentração foi realizada na sede da Semulher. Antes da caminhada, todos puderam presenciar a feira das Mulheres Empreendedoras, com a venda de artesanato, grafismos, doces e salgados, além de uma programação cultural com show de talentos e uma oficina de fitagem para cabelos afro.

Para Márdhia El-Shawwa, a intenção da Caminhada é chamar a atenção, especialmente dos jovens e das crianças. Por isso, foram convidadas escolas para participar do evento.

Márdhia El-Shawwa: “Março é um mês de muita importância para as mulheres”. Foto: Diego Gurgel/Secom

“Este mês de março de 2024 é muito especial para nós, pois marca um ano da criação da Secretaria da Mulher. O balanço é positivo, estamos recebendo apoio do Poder Judiciário, do Ministério Público e de toda a sociedade, para que juntos possamos desenvolver ações de enfrentamento à violência contra as mulheres”, destacou a secretária.

O governador Gladson Cameli reforçou que o fortalecimento das políticas públicas para as mulheres se transformou em uma das maiores prioridades do seu governo, destacando a criação da Secretaria da Mulher para tratar exclusivamente do tema, além de ele mesmo contar com o apoio de muitas mulheres em cargos estratégicos do governo.

Governador reforçou políticas públicas para as mulheres como uma prioridade de seu governo. Foto: Diego Gurgel/Secom

“A Secretaria da Mulher tem feito um trabalho magnífico, que me respalda como governador, fornecendo informações sobre os compromissos que assumimos, principalmente com todas as instituições, incluindo o Poder Judiciário, pela defesa da dignidade e vida das mulheres. A pauta da mulher é sensível, requer um olhar diferenciado, e estamos cumprindo as metas. Temos que praticar coisas novas, coisas positivas, que sirvam de exemplo”, reforçou o governador.

Para Talita Ferreira, uma das jovens presentes no evento, uma caminhada como essa, com todos seus amigos, tem a capacidade de influenciar mudanças e diminuir medos.

Conscientizar os jovens faz parte dos objetivos do Mês da Mulher. Foto: Diego Gurgel/Secom

“Eu acho muito importante, porque na realidade nós, mulheres, a gente não tem muito respeito, isso é uma verdade, porque a gente anda na rua para ir para a escola, tem que pegar ônibus, né? Nesse meu caminho, já aconteceu de um homem passar e nos assediar, aí acham que isso é normal, mas não é aceitável, entende? E eu acho que essa caminhada para conscientização é muito importante, porque o respeito para nós, mulheres, é fundamental”, analisa.

Resultados conquistados

No início de 2024, foi divulgado que as ações integradas das forças de segurança do Estado resultaram em uma redução de 37,50% no índice de mulheres vítimas de homicídio e feminicídio, em uma comparação entre os anos de 2022 e 2023, feita pela Diretoria de Inteligência e Análises Criminal da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública do Acre (Sejusp).

“Neste evento temos muitos adolescentes presentes. A juventude foi chamada a participar, e sabemos que a educação é fundamental para mudar essa realidade da violência doméstica contra mulheres e meninas no Acre. Chamar os jovens para participar é crucial, pois garante que no futuro tenhamos pessoas mais conscientes, que não adotem a violência como um estilo de vida”, disse delegada da Mulher, Elenice Frez.

Em caso de violência doméstica e familiar, disque 180 e fale com a Central de Atendimento à Mulher. As ligações são gratuitas e anônimas, sendo possível ligações por telefone fixo ou celular. Além de receber denúncias de violações contra as mulheres, a central encaminha o conteúdo dos relatos aos órgãos competentes e monitora o andamento dos processos.