Governo do Acre investe R$244 mil em estudo e preservação dos geoglifos

Sítios arqueológicos estão sendo pesquisados por um grupo multidisplinar de especialistas

O Governo do Acre, através do Departamento de Patrimônio Histórico, investe R$244 mil na prospecção arqueológica dos geoglifos do Vale do Acre. O projeto inclui levantamento completo dos sítios, confecção de mapas com cruzamento de informações, publicação   de um livro dos pesquisadores Denise Schaan e Alceu Ranzi (entre outros) e elaboração de um folheto.

O Acre apresentou emenda de bancada junto ao Orçamento Geral da União para captar recursos para a pesquisa. Além disso, segundo Sueli Melo, o projeto foi encaminhado para agências financiadoras, como o Conselho Nacional de Pesquisa Técnico-Científica (CNPq).

De acordo com a publicação http://www.geoglifos.com.br/ geoglifos são vestígios arqueológicos representados por desenhos geométricos (linhas, quadrados, círculos, octógonos, hexágonos), zoomorfos (animais) ou antropomorfos (formas humanas), de grandes dimensões e elaborados sobre o solo, que podem ser totalmente e melhor observados se vistos do alto, em especial, através de sobrevôo.

No Acre, os primeiros geoglifos foram encontrados a partir de 1977 pelo professor Ondemar Dias. Hoje, já são 140 sítios catalogados. O Ministério Público Federal recomendou recentemente o tombamento dos geoglifos como forma de preservação desse patrimônio.

Além dos estudos, o Governo do Acre encomendou avaliações acerca da destinação turística dos geoglifos -também como forma de preservá-los.  

 

Edmilson Ferreira
Agência de Notícias do Acre