O governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Indústria, Ciência e Tecnologia (Seict), segue dialogando com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), no Acre. Nesta terça-feira, 19, pela manhã, representantes da Seict e do Mapa detalharam ações para a viabilização da importação de proteína animal dos países andinos pelo Corredor Interoceânico (Via BR 317). O Superintendnte do Mapa, Paulo Trindade e o fiscal João Victor Ramos representaram o governo federal.

Representantes do Mapa receberam técnicos e empresários da Seict para alinhar estratégias de importação de alimentos do Peru. Foto: Jairo Carioca/Seict

As tratativas que iniciaram na Expoliamentaria, em Lima, em setembro de 2023, foram reforçadas com a vinda de comitivas de empresários peruanos, produtores de truta salmonada da região de Puno, no Peru. No final do ano passado, um protocolo de intenções foi firmado entre representantes do governo do Acre e associações de produtores peruanos.

Em parceria com o Instituto de Educação Profissional e Tecnológica (Ieptec) foram promovidas aulas-show e degustações na Escola de Gastronomia e Hospitalidade Miriam Assis Felício, na Cidade do Povo, para um público de empresários do setor de supermercados, bares e restaurantes que trabalham com a produção de sushis e similares, com o objetivo de estreitar as relações comerciais.

De acordo com Alejandro Salinas, consultor do grupo Perbra Holding, o maior gargalo para iniciar a importação da proteína animal do Peru diretamente para o Acre é a falta de estrutura para a fiscalização, uma vez que o Mapa disponibiliza fiscais para as estratégias aduaneiras.

“A orientação do ministério é que essa estrutura seja construída pelo Estado na ZPE. Isso facilitaria a fiscalização, além de normatizar o processo de importação”, disse Salinas.

Para o diretor de Assuntos Aduaneiros da AZPE – Acre, Marcos Vinícius de Moraes, que representou o titular da Seict – Assurbanípal Mesquita – na reunião, o governo reúne todos os esforços para garantir a importação de proteínas que podem ajudar a diminuir custos e garantir alimentos com melhor qualidade na mesa dos acreanos.

Empresários acreanos degustando trutas salmonadas importadas de Puno, no Peru, para avaliação da proteína. Foto: Jairo Carioca/Seict

“Estamos falando de trutas salmonadas, mariscos e outros animais. Empresários acreanos aprovaram as proteínas demonstradas durante degustação oferecida por empresários peruanos, e a expectativa é de gerar bons negócios com a importação de carnes e frutos do mar peruanos”, analisou Moraes.

Rota Peru/Manaus autorizada

Como fruto da reunião nesta terça-feira, em Rio Branco, o grupo Perbra Holding está autorizado a comercializar proteína animal do Peru via Manaus (AM), onde existe estrutura para a fiscalização das proteínas. Para Alejandro Salinas, isso representa um avanço nas negociações entre os países, “visto que o modal de transporte será o Corredor Interoceânico, encurtando distâncias e custos operacionais até que a estrutura no Acre esteja disponibilizada”.

Em Brasileia, onde cumpre agenda com empresários do setor industrial desde a segunda-feira, 18, o titular da Seict, Assurbanípal Mesquita, afirmou que todos os incentivos fiscais estão sendo oferecidos para o incremento das exportações e importações entre o Acre e o Peru.

“A partir da aprovação da agenda de negócios internacionais, estamos dividindo tarefas para vencer os embaraços que ainda inibem o comércio exterior. A determinação do governador Gladson Cameli é de gerar riquezas e contribuir com oportunidades e geração de emprego e renda”, destacou Mesquita.