reconhecimento

Governador participa de homenagem a conduta ética de médicos do Acre

“São verdadeiros campeões, que honraram o juramento feito ao se formarem”, foi a declaração inicial do governador Gladson Cameli no evento do Conselho Regional de Medicina do Estado do Acre (CRM/AC), que condecorou profissionais da medicina que completaram mais de 15 anos de exemplar conduta médica.

No evento, realizado na noite desta terça-feira, 18, no auditório do conselho, em Rio Branco, representantes da classe, secretários e autoridades políticas do estado prestigiaram a cerimônia, que também faz alusão ao Dia do Médico, comemorado na data.

Cameli agradeceu aos médicos pelo trabalho desenvolvido durante a pandemia. Foto: Marcos Vicentti/Secom

“Quero expressar minha gratidão pelo amor, carinho e dedicação de cada um desses profissionais. Medicina é um sacerdócio e os senhores, ao escolherem o Acre como lugar de exercício desse sacerdócio, são responsáveis por melhorar a vida de vários acreanos”, destacou Cameli.

Cerca de 38 médicos que atuam no estado foram homenageados com a entrega do Diploma de Honra ao Mérito durante a solenidade.

José Wilkens Dias, que há mais de 40 anos se dedica a cuidar da vida dos acreanos, afirma que não espera parar tão cedo. “Fico feliz com a homenagem e é uma honra poder ajudar a salvar vidas. Enquanto tiver saúde, vou continuar prestando esse serviço, e espero trabalhar ainda muitos anos”, disse o médico.

A presidente do CRM/AC, Leuda Dávalos, parabenizou os 38 médicos homenageados pela conduta ética em seu trabalho. Foto: Marcos Vicentti/Secom

A presidente do Conselho Regional de Medicina do Acre, Leuda Dávalos, destacou a conduta ética dos profissionais homenageados. “É momento prestigiar e dizer o quanto esses profissionais são importantes. A intenção é de que esses médicos sintam-se prestigiados pelo serviço essencial, principalmente aqueles que trabalham nos locais de difícil acesso do estado”, destacou.

Durante a cerimônia, também foram feitas homenagens póstumas aos médicos que perderam a vida na linha de frente no combate à pandemia de covid-19.