Governador nomeia Patrícia Rêgo para o cargo de Procuradora-Geral de Justiça

Escolha de Tião Viana respeitou a decisão da categoria

O governador Tião Viana anunciou na tarde desta terça-feira, 13, o nome da nova Procuradora-Geral de Justiça do Ministério Público do Acre (MPE), Patrícia Amorim Rêgo que responderá pelo cargo nos próximos dois anos (Sérgio Vale/Secom)
O governador Tião Viana anunciou na tarde desta terça-feira, 13, o nome da nova Procuradora-Geral de Justiça do Ministério Público do Acre (MPE), Patrícia Amorim Rêgo que responderá pelo cargo nos próximos dois anos (Sérgio Vale/Secom)

O governador Tião Viana anunciou na tarde desta terça-feira, 13, o nome da nova Procuradora-Geral de Justiça do Ministério Público do Acre (MPE), Patrícia Amorim Rêgo que responderá pelo cargo nos próximos dois anos (Sérgio Vale/Secom)

O governador Tião Viana anunciou na tarde desta terça-feira, 13, o nome da nova procuradora-geral de Justiça do Ministério Público do Acre (MPE), Patrícia Amorim Rêgo, que responderá pelo cargo nos próximos dois anos (2012-2014).

A escolha de Tião Viana levou em consideração a votação expressiva que a então procuradora adjunta do MPE Patrícia Rêgo conquistara nas eleições para o cargo. O nome da nova procuradora deveria constar em lista tríplice, mas apenas ela e o atual procurador Sammy Barbosa disputaram as eleições.

Ao ser apurado o resultado, uma lista com os nomes de Patrícia Rêgo e Sammy Barbosa foi encaminhada ao governador do Estado, Tião Viana.

“A Constituição me assegura a responsabilidade de nomear o procurador-geral que venha a partir de uma lista. Houve uma votação, um momento de democracia interna no Ministério Público e, numa escolha livre e consciente, a doutora Patrícia Rêgo foi a mais votada e eu reconheci essa votação respeitando todos os valores dos dois nomes”, revela Tião Viana.

O governador completou afirmando que fez a escolha pelo mais votado e entendendo que assim o guardião da lei e fiscal da Constituição, que é o Ministério Público, estará mais vinculado ao seu pensamento como instituição. “Ganha a democracia. Ganham as instituições”, pontua o governador.

A procuradora-geral Patrícia Rêgo disse ao governador que se sente honrada por ter sido escolhida para exercer o cargo e ressaltou que seu antecessor deu uma parcela de contribuição para o crescimento do MPE. Ela observa que todos no MP reconhecem que Sammy Barbosa pacificou o ambiente.

 

A escolha de Tião Viana levou em consideração a votação expressiva que a então procuradora adjunta do MPE Patrícia Rêgo conquistou nas eleições para o cargo (Sérgio Vale/Secom)

A escolha de Tião Viana levou em consideração a votação expressiva que a então procuradora adjunta do MPE Patrícia Rêgo conquistara nas eleições para o cargo (Sérgio Vale/Secom)

 

“A posição do governador em sua escolha foi a posição de um estadista que prestigiou a vontade da classe e por fortalecer a democracia. Estou muito honrada e muito feliz pela escolha. Renovo aqui meu compromisso para fortalecer a instituição. Para mim é uma honra grande”, declara Patrícia Rêgo.

Dever cumprido

O procurador Sammy Barbosa, que encerra sua gestão neste mês, assegura que entrega o cargo para Patrícia Rêgo “com a sensação do dever cumprido”. Barbosa ressalta que a escolha de Tião Viana é própria de um estadista que respeita uma democracia.

“A sensação é do dever cumprido. Principalmente por entregar o cargo maior do Ministério Público a uma pessoa como Patrícia Rêgo, uma mulher, acreana de fibra e que tem uma história de luta institucional, um nome reconhecido nacionalmente principalmente na luta em defesa do meio ambiente. Mas, sobretudo, na luta de consolidação do Ministério Público”, frisa Barbosa.

O procurador revela que, ao encerrar sua gestão, voltará a trabalhar na Procuradoria Criminal, que ele mesmo nomeia de “meu local”.

“Vou atuar onde eu sempre atuei, tentado contribuir, até o fim da minha carreiram se Deus quiser, para servir o povo do Acre”, finaliza Sammy Barbosa.