Enfrentamento

Fundhacre realiza I workshop sobre a Luta Mundial contra a Aids

Focada na ação educativa, e em processos que sensibilizem a sociedade, a Fundação Hospital Estadual do Acre (Fundhacre), em Rio Branco, realizou nesta quarta-feira, 1, o I Workshop sobre a Luta Mundial contra a Aids. A doença crônica é tratável, e já conta com vários tratamentos. O evento foi realizado no auditório do Pronto-Socorro e teve como participantes os profissionais da instituição, acadêmicos da área da saúde, além da comunidade.

I Workshop sobre a Luta Mundial contra a Aids. Foto: Danna Anute

No momento, a ação educativa também teve uma perspectiva centrada no embasamento do Ministério da Saúde, que aborda o tratamento Humanizado como agente integralizado, isto é, o diálogo, o atendimento acolhedor- resolutivo e a técnica são os aspectos que norteiam o atendimento humanizado.

Gestora do SAE, Gerente-geral do SAE, Edna Maria Gonçalves e palestrantes do workshop. Foto: Danna Anute

Na oportunidade, o enfermeiro Josadaque Beserra mostrou o fluxo sobre a testagem rápida do HIV, que segue padrões rígidos desde a coleta até o resultado. O profissional destacou: “o procedimento é simples, há uma captação do sangue do paciente, que é colocado na plataforma do teste rápido, que é seguro e eficaz”.

Enfermeiro, Josadaque Beserra mostrou o fluxo sobre a testagem rápida do HIV. Foto: Danna Anute

Os palestrantes, que são profissionais de saúde na Fundhacre mostraram registros gerais sobre a Aids no Brasil, e também falaram sobre as formas de prevenção, tratamento, além da abordagem sobre o aconselhamento psicológico.

“A maioria das pessoas pensam que o tratamento da Aids é realizado somente via medicação, mas há também a contribuição do psicólogo, quer dizer, há um auxílio aos pacientes que apresentam dificuldades na aceitação do diagnóstico, alguns possuem adversidades no núcleo familiar, todas essas questões são trabalhadas com o paciente, a fim da obtenção de um melhor prosseguimento no tratamento”, disse a psicóloga do Serviço de Assistência Especializada (SAE), Carolina Carvalho.

 

Pessoas acometidas por Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST’s), já contam com um tratamento moderno, menos invasivo. Foto: Danna Anute

As pessoas acometidas por Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST’s), já contam com um tratamento moderno, menos invasivo, sobretudo para aqueles que pensam ter sido expostos a um risco de contágio pelo HIV. Assim, a Profilaxia Exposição ao HIV(PEP) tem por base o uso de medicamentos antirretrovirais com o objetivo de reduzir o risco de infecção em situações de exposição ao vírus.

Entrega dos laços para os participantes do evento. Foto: Danna Anute

A saúde trabalha para manter um diálogo com todos, nesse sentido, o Ministério da Saúde continua enfatizando campanhas contra a Aids, pois prevenir é sempre a melhor escolha.  Desta forma, o presidente da Fundhacre, João Paulo Silva destacou que: “Palestras como essa, são fundamentais para ações estratégicas nos processos de prevenção, tratamento e conscientização, após o diagnóstico da Aids, para que haja uma rede de cuidados”.

Presidente da Fundhacre, João Paulo Silva destaca a importância da conscientização. Foto: Danna Anute

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 37,7 milhões de pessoas conviviam com o HIV no final de 2020, isso significa que é possível viver com o vírus, pois o que tem dizimado famílias e outros vínculos de relacionamento é a sobrecarga da culpa, da vergonha, do medo e do preconceito.