ortopedia

Fundhacre amplia número de médicos e diminui espera no atendimento

A Fundação Hospital do Acre (Fundhacre) é referência na saúde acreana e havia delimitado os atendimentos de todas as especialidades,  sobretudo, os da ortopedia. Atualmente, com a chegada dos novos médicos da especialidade, as consultas e os retornos suspensos foram retomados diminuindo a espera no atendimento da ortopedia.

Agendamento de consultas na Fundhacre. Foto: Danna Anute

“A Fundhacre conta com 24 profissionais de Ortopedia, que anteriormente realizavam um total de 460 atendimentos por semana. Depois de conversarmos com o Núcleo de Regulação da Secretaria de Saúde (Sesacre), conseguimos mais profissionais e atualmente são atendidos 668 pacientes; com isso diminuímos o tempo de espera e contribuímos para o menor dano da capacidade funcional dos pacientes”, relatou Conceição Leite, coordenadora do Serviço de Arquivo Médico e Estatística (Same) da fundação.

Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde, os traumas são responsáveis pela maioria das incapacitações permanentes. Eles acometem crianças, adultos e idosos, mas atingem em maior grau o grupo da terceira idade. Geralmente, as fraturas decorrentes de lesões são tratadas por um ortopedista, com especialidade em mão, ombro, coluna, pé ou joelho.

“A Sesacre e a Fundhacre estão se esforçando para diminuir a espera dos pacientes da especialidade de Ortopedia e Traumatologia, que são duas das maiores demandas do Huerb. As quedas domésticas, as atividades esportivas e os acidentes de trânsito são os responsáveis pelo alto número de internações hospitalares”, relata Marcelo Moisés, diretor administrativo da Fundhacre.

A Ortopedia Clínica na Fundhacre objetiva avaliar e diagnosticar as disfunções relacionadas ao sistema musculoesquelético, formado por ossos, ligamentos, nervos, articulações e músculos. Além disso, a especialidade pretende tratar e recuperar as funções laborais do paciente.

“Todo mês venho acompanhar a recuperação do meu filho, que fraturou a tíbia em setembro de 2020, num acidente de moto. Ele foi atendido no Huerb e encaminhado para a Fundhacre. No momento, é assistido pelo ortopedista Vinicius Gressler”, relatou Jane Menezes, mãe de Júlio Rodrigues.

Agendamento de retorno. Foto: Danna Anute

As fraturas podem diminuir a capacidade funcional da pessoa, causando falhas nos movimentos e a perda da qualidade de vida. Em casos mais graves, são necessárias próteses, que auxiliam na recuperação e no retorno gradativo às atividades do cotidiano.

“Entre os traumas mais frequentes estão as lesões ligamentares, que são rupturas em um dos ligamentos do joelho, muitas vezes decorrentes de atividades esportivas, como o futebol”, explicou o ortopedista Rodrigo Minuano.

Assim, seja em atividades esportivas ou atividades domésticas, é importante ter cuidado com as práticas na hora da execução. Além disso, a postura, o peso de objetos e o esforço repetitivo também podem causar lesões nos músculos, causando dores e diminuição da capacidade funcional.