Fotógrafo Sebastião Salgado profere palestra em Rio Branco

(Foto: Internet)
A palestra com o fotógrafo Sebastião Salgado será nesta quinta-feira, 22, às 19h30, no Teatro Universitário da Ufac (Foto: Internet)

Fotógrafos, jornalistas, acadêmicos e sociedade civil terão a oportunidade de assistir à palestra Sebastião Salgado – Uma História de Vida, com o fotógrafo renomado internacionalmente, nesta quinta-feira, 22, a partir das 19h30, no Teatro Universitário da Universidade Federal do Acre (Ufac).

O evento é uma realização do governo do Estado, do gabinete do senador Jorge Viana e da Ufac. Salgado receberá, ainda, a outorga do título de doutor Honoris Causa da instituição federal.

O fotógrafo esteve no Acre em março deste ano, quando realizou um trabalho com o povo indígena Ashaninka, no Rio Amônia, em Cruzeiro do Sul. Na mesma época, Sebastião esteve com o governador Tião Viana, o senador Jorge Viana e a equipe de governo, para uma conversa que sobre a viagem ao interior do estado e a formação política e social da Amazônia.

Sobre o fotógrafo

Sebastião Ribeiro Salgado Júnior nasceu em Aimorés (MG), em 1944. É doutor em Economia e,  entre 1971 e 1973, trabalhou para a Organização Internacional do Café, em Londres. Decidiu tornar-se fotógrafo quando coordenava um projeto sobre a cultura do café, em Angola.

Residente em Paris, registrou relevantes acontecimentos sociais e políticos na Europa e na África. Realizou viagens pela América Latina, onde documentou as condições de vida dos camponeses e dos índios, cujas fotos se encontram no livro Autres Ameriques, de 1986.

Seu trabalho, sempre com forte teor social e crítico, levou-o a percorrer a região de Sahel, na África, com o grupo francês Médicos Sem Fronteiras. A viagem resultou em registros da devastação causada pela seca na década de 80.

O fotógrafo produziu, ainda, a série Trabalhadores, na qual documentou o trabalho manual e as árduas condições de vida dos operários em várias regiões do mundo. Em 1994, criou sua própria empresa: a Amazonas Imagens.

Salgado recebeu diversos prêmios, tais como Fotografia Humanitária, nos Estados Unidos, em 1982, e Unesco para Iniciativas Bem-Sucedidas, em 1999.