Familiares de jovens mortos decidem doar órgãos

(Foto: Arquivo Secom)
A doação no Brasil só é efetivada com a autorização da família (Foto: Arquivo Secom)

A Central de Captação do Hospital das Clínicas (HC) de Rio Branco recebeu duas doações de córneas na manhã desta segunda-feira, 4. Os familiares do jovem Ayrton da Silva, 22 anos, morto na noite de domingo, 3, e da estudante de jornalismo Marina Oliveira Lima, 23, vítima de acidente automobilístico nas primeiras horas desta segunda, decidiram pela doação.

(Foto: Arquivo Pessoal)
Era desejo de Marina doar seus órgãos (Foto: Arquivo Pessoal)

De acordo com a coordenadora da Central de Captação, Regiane Ferrari, a doação foi voluntária. “Os órgãos já foram captados e devem seguir para análise. Infelizmente, são duas vidas que foram perdidas tragicamente, mas graças à boa ação da família, as pessoas que aguardam na fila de transplante poderão receber as córneas e ter suas vidas renovadas”, disse.

Regiane também informou que, segundo a família, era o desejo de Marina Oliveira doar seus órgãos. “A doação no Brasil só é efetivada com a permissão familiar. Não adianta o doador deixar por escrito a intenção de doar, pois a decisão é da família. Portanto, quem deseja ser doador deve avisar a família de sua vontade”, enfatizou Regiane.

No Acre, 20 pacientes aguardam transplante de córnea, outros 22 esperam pelo transplante de rim e nove pacientes estão na fila para transplante de fígado, de acordo com a Central de Captação.