assistência

Estado zera fila de espera por cirurgias de mama em 2022

O governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), zerou a fila de espera por cirurgias de mama em 2022. Por meio do programa Opera Acre, o Centro Oncológico do Acre (Cecon), de Rio Branco, realizou a retirada de tumores benignos em 109 mulheres, sendo que algumas aguardavam o procedimento desde 2017.

O Cecon realizou a retirada de tumores benignos em 109 mulheres que aguardavam em fila de espera. Foto: arquivo/Secom

“O Cecon iniciou a busca dessas mulheres em junho e, no processo, envolvemos toda a equipe: assistente social, enfermeiras, mastologistas, radiologistas e técnicas de radiologia. A partir disso, proporcionamos o atendimento para atualização dos exames pré-operatórios”, explicou a gerente de assistência, Carina Hechenberger.

Por se tratar de um procedimento eletivo, em que já foi descartado o risco do câncer de mama, as pacientes que apresentam lesões benignas e que possuem indicação de cirurgia aguardam a realização do procedimento em fila de espera, enquanto que as cirurgias de emergência, em que há risco iminente de morte, são priorizadas.

As cirurgias foram realizadas no centro cirúrgico da Fundação Hospital Estadual do Acre (Fundhacre), pelos médicos mastologistas do Cecon. No total, foram feitos 196 procedimentos cirúrgicos em mastologia, compreendendo o atendimento pré-operatório, cirúrgico e pós-operatório.

“Só quem passa por um momento como esse sabe a angústia e aflição que causa”

A enfermeira Jane Ingar, 36 anos, conta que um leve desconforto na mama esquerda a fez marcar uma consulta com a mastologista. Na época, a médica solicitou um ultrassom e, para a surpresa de Jane, o exame apontou alterações.

A paciente Jane Ingar, momentos antes da cirurgia. Foto: cedida

Com indicação de exérese (retirada do tumor), a paciente foi contemplada com a cirurgia. Entretanto, após cinco meses da primeira cirurgia, um novo nódulo surgiu em Jane, então na mama direita. A enfermeira relata um que logo fez a segunda cirurgia, pois com o mutirão a demanda já estava zerada.

“Mesmo sendo profissional da saúde, ficamos fragilizadas, exatamente por saber o que pode acontecer. O acolhimento, a forma como foi conduzido, tudo foi maravilhoso. O serviço do Cecon é de alta qualidade, desde a consulta, ultrassonografia, biopsia e o acompanhamento com o profissional; são detalhes que causam uma segurança. Graças a Deus, não tive câncer, mas espero que iniciativas como essa do mutirão aconteçam sempre, para que mais mulheres passem por isso com mais leveza”, declarou.