retrospectiva

Estado promove gestão da agricultura como ‘casa do homem do campo’

Para fazer valer na prática um modelo de ação em que a Secretaria de Agricultura (Seagri) seja a casa do agricultor, o ponto de partida do governo do Acre foi a elaboração de um planejamento de gestão no início de 2023, quando foram definidas metas de trabalho que priorizaram investimentos em prestação de serviços e um leque de iniciativas que fomentam a atividade rural como um todo, promovendo a melhoria da qualidade de vida do homem do campo.

Primeira vez do produtor na agricultura foi um sucesso e agora planeja ir muito além Foto: acervo pessoal

Para a agricultura familiar, “um setor formiguinha que gera resultados gigantes”, a Secretaria de Estado de Agricultura investiu em todas as frentes como forma de fazer jus à importância do setor, que foi assistido com o programa de mecanização, a exemplo do que foi realizado no Projeto de Assentamento Moreno Maia, que recebeu maquinário agrícola por intermédio da parceria com o Projeto Calha Norte, do Ministério da Defesa.

O governo implementou mecanização em comunidades agrícolas de Rio Branco. A iniciativa beneficiou mais de 40 empreendimentos de agricultura familiar, apoiando diversas fases do processo agrícola, como estocagem, aradagem e açudagem, etapas fundamentais para o sucesso da produção.

Uma das beneficiadas é Cláudia Alves, produtora de feijão no Ramal Costa Silva, próximo à AC-10 (Estrada de Porto Acre), que se mostrou grata com a ação: “Essa iniciativa é um divisor de águas para nós, agricultores da região. Ter máquinas como essas realizando o trabalho pesado faz toda a diferença”.

Produtora de feijão agradece o governo pelos investimentos em mecanização, reconhecendo as melhorias produtivas para todos na comunidade. Foto: cedida

Ações em prol da agricultura familiar vão mais além e incluem o compromisso de regularização fundiária, como apoio aos pequenos produtores rurais nas cadeias produtivas da suinocultura e avicultura, para que possam financiar projetos com instituições financeiras, conforme proposta apresentada recentemente pelo titular da Seagri, Luis Tchê, durante  reunião com representantes da indústria, de bancos e outros secretários de Estado.

Deputados federais adotaram 27 projetos elaborados pela Seagri, para serem lançados no próximo ano, como por exemplo a primeira Ceasa Digital e o projeto que garante a negociação direta entre o produtor e o comprador, excluindo a figura do atravessador.

No que se refere a apicultura, está em andamento o projeto que visa ter o mel produzido no Estado nas gôndolas dos supermercados locais, abastecidos com o mel nativo produzido por abelhas da região acreana.

Com relação ao cacau produzido no Acre, já está nos mercados consumidores de São Paulo e do Pará, com articulações para que ganhe mercados consumidores mundiais. Já a mandioca, articulação junto a empresários de outros Estados pra construir uma indústria de fécula e assim agregar valor na macaxeira e na fécula de área preservada.

Produzir carne e leite no Acre de acordo com as normas ambientais internacionais é um objetivo que vem sendo alvejado pelo governo, desencadeando ações contínuas por meio da Seagri. Técnicos do Departamento de Agronegócio da pasta vêm sendo capacitados em balanço de carbono em sistemas pecuários do Acre, financiado pelo REM-KfW e conforme dados registrados pelo setor, neste final de ano pecuária chega a 5 milhões de cabeças no Estado.

Moradores do Projeto de Assentamento Moreno Maia foram beneficiados com maquinário para mecanização. Foto: cedida

Com o objetivo de aumentar a qualidade da cadeia produtiva do leite, o Estado, via Seagri, em parceria com o Programa REM Acre – Fase II, entregou 16 toneladas de calcário para sete produtores familiares de dois municípios do Acre, sendo seis em Senador Guiomard e um no Bujari.A agricultura familiar do estado recebeu importante incremento produtivo, com a entrega de três mil pintos caipiras para 32 produtores da zona rural de Rio Branco. Os investimentos do governo, via Seagri, para impulsionar a avicultura, incluem ainda a reativação da Central de Incubação, localizada no Parque de Exposições de Rio Branco. O projeto pretende beneficiar pequenos produtores, retirando-os do mercado clandestino e da relação desfavorável com os atravessadores.

Produtores da zona rural de Rio Branco receberam doação de pintos caipira para estimular a cadeia produtiva. Foto: cedida

Agricultores familiares receberam fundamental apoio durante o dramático período de alagação ocorrido no início deste ano. O programa Peixe no Prato Solidário, em parceria com a então Secretaria de Meio Ambiente e Políticas Indígenas (Semapi), assegurou a distribuição de 20 toneladas de pescado para famílias nos municípios afetados pelo transbordamento de rios e igarapés. A ação também garantiu a compra do pescado dos produtores, num momento em que não teriam como comercializar sua produção.

Maria Souza teve a residência invadida repentinamente pelas águas, perdendo a maior parte dos móveis e pertences pessoais em poucas horas. A dona de casa agradeceu o governo do Estado pela chegada do alimento na véspera da Sexta-Feira Santa. “Graças a Deus, esse peixe chegou em boa hora para mim e os meus filhos”, afirmou.

Durante o período da alagação no estado, no início do ano, governo garantiu a compra do pescado de produtores familiares e distribuiu para famílias atingidas. Foto: cedida

A cadeia produtiva dos cafés cultivados no Acre recebeu importante incentivo. O governo premiou, no dia 27 de outubro, os cinco melhores cafés, que concorreram no 1° Concurso de Qualidade do Café Robusta Amazônico do Acre, o Qualicafé. Por meio da Seagri, foi investido mais de R$ 1,5 milhão em recursos próprios na cadeia produtiva do café, beneficiando 61 produtores rurais de vários municípios.

O sucesso na região, no Brasil e no mundo, demonstrou os êxitos positivos, pois mostrou que o Acre produz um café de qualidade, sucesso no maior evento nacional de café, ocorrido em Minas Gerais, já está no mercado consumidor dos Estados Unidos, na China e na Europa.

A única mulher produtora de café, Keyty Espíndola, da Raízes da Floresta, conta que já exporta o grão para China e Estados Unidos. “É muito significativa essa competição, pois podemos mostrar o nosso trabalho, e nos sentimos muito vitoriosos em competir e comprovar a qualidade do café que nós produzimos”, contou.

Outra iniciativa marcante em prol da agricultura familiar: 1.500 pequenos produtores das regionais do Alto e Baixo Acre, que tiveram sua produção atingida pelas recentes ventanias, bem como pelas enchentes do início do ano, foram assistidos pelo Estado com a entrega de filme plástico para a confecção de estufas agrícolas, em ação coordenada pela Seagri e pela Empresa de Extensão Rural (Emater).

Agricultores que tiveram suas produções em olericultura atingidas pela alagação receberam coberturas plásticas para proteger hortas. Foto: cedida

O Acre saiu na frente com inédita ação de inclusão dos povos indígenas no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), que está sendo viabilizada por meio da parceria entre o governo do Estado e a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), com a inclusão do Povo Huni Kuĩ, da Terra Indígena Kaxinawá, no município de Feijó. Para tanto, foi realizada a primeira oficina de capacitação na própria comunidade, Aldeia Formoso, com as 45 famílias indígenas fornecedoras dos produtos da agricultura familiar e investimento na ordem de R$ 575,4 mil. Maria Zilma Kaxinawá, mãe de sete filhos, considera a inclusão no PAA como a melhor oportunidade em mais de 30 anos de vida produtiva, trabalhando com o cultivo de inhame, cará, macaxeira, jerimum, batata-doce, amendoim, melancia e banana.

Indígenas de aldeia em Feijó são os primeiros a integrar o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Foto: cedida

O secretário de Agricultura, José Luis Tchê enfatiza que a Pasta tem um grande projeto para a agricultura no Estado, a partir de um planejamento bem elaborado. Um trabalho complexo, porque segundo ele, a agricultura não é do dia para noite e nesse sentido, foram recuperados equipamentos, tratores, trator de esteira, pá carregadeira, para no próximo começar a atender produtores no início do verão. “Recuperamos o parque, mudamos de endereço e atualmente estamos na entrada da Santa Afonso, em uma estrutura melhor, onde servidores podem trabalhar com dignidade’, salienta Tchê.

O secretário de Agricultura destacou ainda que, como forma de prevenção contra a seca, esse fenômeno que vem se agravando a cada ano, houve aradagem em várias áreas rurais de pequenos produtores, como exemplo nas propriedades Campo Alegre e nova Promissão em Capixaba, atendendo mais de 90 produtores, aumentando a área produtiva e consequente aumento na renda.

“O governador Gladson Cameli dá carta branca para trabalharmos pelo desenvolvimento da agricultura, com pastas comprometidas com a causa, como a Secretaria de Planejamento, com o apoio do coronel Ricardo, que é um incentivador da agricultura e tem nos ajudado muito, assim como a Secretaria da Fazenda e a Casa Civil. Contudo, nada seria possível sem dialogar com o produtor, para saber os problemas e juntos vencermos os enormes desafios para construirmos um futuro próspero para nosso Estado”, finalizou.

Governo prioriza o desenvolvimento econômico, potencializando o agronegócio no Acre, assegura o secretário Luís Tchê. Foto: Marcos Vicentti/Secom

Sem tempo a perder, a gestão focou em investir em todas as frentes para que a pecuária, atividade geradora do maior número de empregos no campo esteja em conformidade com a lei ambiental. Nesse sentido, um investimento expressivo vem sendo a capacitação técnica por uma agropecuária de baixo carbono, com ações pontuais e contínuas financiadas pelo REM-KfW.

Técnicos das instituições integrantes do Grupo Gestor Estadual (GGE) para Agricultura de Baixa Carbono (ABC+ do Acre) realizaram uma oficina de treinamento para elaboração do Plano Estadual de Incentivo à Produção Sustentável. O Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural e Florestal Sustentável (CDRFS) foi reativado pelo governo do Acre. Na ocasião, também foi efetivada a aprovação do Plano de Prevenção, Controle do Desmatamento e Queimadas do Estado do Acre (PPCDQ/AC).

Governador Gladson Cameli, durante evento de premiação do concurso Qualidade de Café, garantiu que seu governo continuará cuidando do pequeno e incentivando quem produz. Foto: Secom

“Acabou o discurso de que o Acre não produz nada. Estamos respeitando as leis e ajudando quem quer produzir. Agregamos o agronegócio e a sustentabilidade, protegendo a natureza. O que nós queremos é cuidar das pessoas, para assim gerar emprego e renda”, pontuou o governador Gladson Cameli.