acolhimento

Estado promove diálogo com os tutores do método Canguru

Tendo em vista a importância do método Canguru, o governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) e o Núcleo de Saúde da Criança, em parceria com o Núcleo do Telessaúde e o Ministério da Saúde, promoveu o Encontro Estadual de Tutores do Método Canguru, que implica em uma mudança de paradigma na atenção direta ao recém-nascido prematuro ou de baixo peso, proporcionando um atendimento humanizado.

Evento se deu de forma online pela plataforma do Telessaúde. Foto: Cedida

O método Canguru começa desde a identificação da gestante com algum risco na gravidez, em que a equipe vai trabalhar com a mãe junto à família, passando orientações e cuidados específicos que devem ter. Além disso, dá suporte psicológico.

“Com o nascimento do bebê e havendo necessidade de permanência na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (Utin) ou Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal (Ucin), especial atenção é dada no sentido de estimular a entrada dos pais nesses locais e de estabelecer contato pele a pele com o bebê, de forma gradual e crescente, de maneira segura e agradável para ambos”, explicou a chefe do Núcleo de Saúde da Criança, Priscylla Aguiar.

Trabalha‑se o estímulo à lactação e à participação dos pais nos cuidados com o bebê. A posição canguru é proposta sempre que é possível e desejada. A segunda etapa do método exige estabilidade clínica da criança, ganho de peso regular, segurança materna, interesse e disponibilidade da mãe em permanecer com a criança o maior tempo desejado e possível.

A posição canguru é realizada pelo período que ambos considerarem seguro e agradável. A terceira etapa se inicia com a alta hospitalar, e exige acompanhamento ambulatorial criterioso do bebê e de sua família. O método Canguru, desde a primeira fase, é realizado por uma equipe multidisciplinar, capacitada na metodologia de atenção humanizada ao recém‑nascido de baixo peso.

O encontro se deu de forma online e contou com a participação dos consultores nacionais do método Canguru: o médico pediatra, Arnaldo Bueno, enfermeira Suzane Menezes e a pediatra neonatologista, Rosa Maria Negri, além do coordenador estadual, Dr. Luisvaldo Rodrigues.