resgate

Estado e Município apoiam mostra do cinema acreano em Rio Branco

“Uma câmera na mão e uma ideia na cabeça” foi a frase que eternizou Glauber Rocha, cineasta brasileiro. Pensando nisso, nesta quarta-feira, 19, a Mostra Adalberto Queiroz faz uma retrospectiva dos 50 anos das atividades ligadas à produção e difusão do cinema acreano, por meio de suas criações.

A programação se estenderá até 7 de dezembro, às 21h30 e será realizada semanalmente. Os filmes serão exibidos no canal 8.1, da TV Rio Branco-Cultura, no programa “Mais Cultura”.

Adalberto Queiroz, cineasta. Foto: Nonata Queiroz

O projeto que deu origem à mostra foi aprovado em edital do Fundo Municipal de Cultura da Fundação Garibaldi Brasil (FGB), por meio da Prefeitura Municipal de Rio Branco, e também teve apoio do governo do Acre, por intermédio da Fundação Elias Mansour (FEM).

Adalberto Queiroz se diz feliz por viver mais esse momento emblemático na sua trajetória. Foto: Neto Lucena/Secom

Com sete documentários e uma uma ficção, Adalberto Queiroz, de 70 anos, considerado o “pai do cinema acreano”, é um historiador e apaixonado por cinema. O cineasta se diz feliz por viver mais esse momento emblemático na sua trajetória: “A apresentação dos curtas-metragens pretende atingir diversos públicos, despertando, em cada um, conhecimentos e aprendizados”, afirma.

Jornalista Domingos Meireles, cineasta Adalberto Queiroz, Enilson Amorim e amigo jornalista. Foto: Selmo Melo

Queiroz tem mais de cem filmes. Para o cineasta, a chamada “sétima arte” representa uma possibilidade de os cidadãos refletirem sobre fatos históricos, sociais e culturais, promovendo o desenvolvimento do senso crítico, estético e emocional.

Cineasta Adalberto Queiroz com seus confrades da Academia Acreana de Letras (AAL), em recente evento realizado pela Associação Acreana de Cinema-Asacine. Foto: Selmo Melo

Programação da Mostra

Durante quase três meses de mostra, o público terá acesso às produções: 

Floriano – As Marcas de um Campeão, 19 de outubro, 21h30

Vó Pituca – Exemplo de Mulher, 26 de outubro, 21h30

Lágrimas dos Anjos – 2 de novembro, 21h30

Empate – 9 de novembro, 21h30

Rádio Difusora Acreana, a Voz das Selvas – 16 de novembro, 21h30 

Folclore na Casinha – Homenagem a Francis Nunes –  23 de novembro, 21h30

Coisas da Vida – 30 de novembro, 21h e 30

 Revolução Acreana – 7 de dezembro, 21h30