medidas sanitárias

Estado atende orientações do Comitê de Acompanhamento Especial da Covid-19 e mantém obrigatoriedade do uso de máscaras

O Comitê de Acompanhamento Especial da Covid-19 emitiu recomendação técnica à Casa Civil, orientando o governo para que determinasse a manutenção das medidas sanitárias referentes à pandemia da Covid-19 a toda população acreana, visto que o período de festividades de final de ano pode gerar aglomerações e a consequente proliferação do vírus SARS-CoV-2, que possui a variante Ômicron como nova preocupação.

O governador Gladson Cameli sempre esteve atento às recomendações do Comitê e entende que as orientações científicas devem prevalecer, a fim de garantir a saúde da população. Assim, fica determinada a obrigatoriedade do uso de máscaras em ambientes internos e externos até o dia 15 de janeiro de 2022, data em que as autoridades em saúde do Estado farão outra avaliação do cenário epidemiológico para que o governador determine as próximas medidas.

Medidas sanitárias, incluindo o uso obrigatório de máscaras, serão mantidas até 22 de janeiro de 2022 Foto: Odair Leal/Secom

“Eu queria que fosse possível não haver mais a obrigatoriedade do uso de máscaras em ambientes abertos, mas o Comitê recomendou a manutenção das medidas sanitárias mesmo nesses locais. Assim, para evitarmos qualquer possibilidade de aumento no número de casos de Covid-19, iremos atender às recomendações para que não seja necessário intensificar essas medidas com distanciamento social mais restritivo”, destacou Cameli.

De acordo com informações do Comitê, a instabilidade nos sistemas Sivep-Gripe, Conecte-SUS, e E-SUS Notifica ocasionou a indisponibilidade das bases de dados do Ministério da Saúde, fato que gerou uma subnotificação do número de casos. Além disso, tem-se observado o crescimento no número de casos nos países fronteiriços, o que gera um grande risco ao estado, devido a forte interação entre os municípios de Brasiléia e Epitaciolândia com a província de Pando, na Bolívia, e a elevação substancial de casos nessa região.

Devido a estes e demais fatores de risco, a previsão é de que haja aumento de novos casos no período de janeiro a março, por isso a importância da continuidade de prevenção à doença com a manutenção das medidas sanitárias que determinam: evitar aglomeração e manter distanciamento de 2 metros entre as pessoas; evitar compartilhar objetos e equipamentos nos espaços públicos; uso obrigatório de máscara em todos os ambientes, entre outras.