Emac inicia atividades do curso de musicalização infantil

O projeto de formação da Escola Acreana de Música (Emac) iniciou suas atividades no último dia 10. No curso de musicalização infantil, com duração de três anos, os alunos estão em plena atividade com o aprendizado da arte musical.

Maria Luiza Gutierrez, sete anos, está aprendendo a tocar flauta( Foto: Val Fernandes)
Maria Luiza Gutierrez, 7 anos, está aprendendo a tocar flauta (Foto: Val Fernandes)

Com um jeito articulado de se expressar, a pequena Maria Luiza Gutierrez, 7, foi a primeira da turma a dizer que queria falar algo importante sobre sua paixão pela música.

“Um dia passei por aqui com minha mãe e vi a escola. Falei para ela que queria estudar música. Fiz os testes e passei. Depois da flauta, irei tocar violino, porque amo instrumento de arco. A música é minha respiração”, disse a pequena Maria Luiza, apaixonada por Beethoven e que tem até um trabalho de pesquisa sobre o compositor alemão. “A música de Beethoven expressa meus sentimentos sobre o mundo.”

Musicalização Infantil – O curso gratuito é dividido em iniciação e básico e funciona em dois turnos – manhã e tarde -, com 115 alunos com idade entre 6 e 14 anos, aprovados por meio de processo seletivo. São três anos de aprendizado, nos quais os alunos começam com a flauta doce. “A flauta ensina os alunos a ter desenvoltura com os dedos, ler partituras e outros. Depois, eles partem para os instrumentos que escolhem. Já no nível básico, o método de ensino mistura teoria, prática e também brincadeiras que permitem uma associação mais rápida com a função e particularidade de cada instrumento”, explica o professor Máximo Lopes.

A Emac oferece ainda o curso para jovens e adultos, em diferentes instrumentos musicais e canto, no período da noite. Ao todo, são 16 professores e cerca de 300 alunos.  Entre os instrumentos ensinados estão o violino, contrabaixo, guitarra, violão, saxofone, bateria, clarinete, violoncelo, piano e outros.

A ação é custeada com recursos do governo do Estado do Acre, por meio da Fundação de Cultura Elias Mansour (FEM).