Atendimento

Em Brasília, vítimas da explosão em barco no Rio Juruá apresentam melhora e devem ter alta nos próximos dias

Os quatro pacientes, vítimas da explosão em barco no rio Juruá, que se encontram  internados  no Hospital Regional da Asa Norte (Hran), em Brasília, apresentaram melhora e devem ter alta nos próximos dias. A informação é do presidente da Sociedade Brasileira de Queimaduras (SBQ), José Adorno, que dá suporte e acompanha o atendimento fora de domicílio das vítimas do acidente.

“São pacientes que sofreram queimaduras de 2º grau e que, ao chegarem em Brasília, receberam o atendimento necessário. Hoje estão em enfermaria, com quadro clinico estável e devem ter alta em breve”, informou Adorno.

Em Goiânia, Jucicleia Ferreira da Silva, 42 anos, recebeu atendimento. O estado clínico também é estável. Em Belo Horizonte, no Hospital João XXIII, estão internadas outras seis pessoas. Antônio José de Oliveira da Silva, 33 anos;  Valdir Torquato da Silva, 51 anos; Francisco Luna dos Santos, 46 anos; José Ortenízio Souza da Conceição,  39 anos; Umberto da Conceição de Oliveira, 38 anos, e o menino P.V.F.S., de 4 anos.

Ao chegarem em Brasília, receberam o atendimento necessário Foto: Odair Leal/Secom

A criança passou por dois procedimentos cirúrgicos, segue com o tratamento contra a pneumonia iniciado no Acre. Com boa evolução, o quadro clínico segue estável. O paciente Umberto da Conceição, que fez o primeiro procedimento para o tratamento das queimaduras é o que apresenta melhora mais  significativa. Entres os adultos internados no João XXIII, um foi submetido à cirurgia nesta sexta-feira. Outras duas cirurgias estão programadas para sábado e segunda-feira, 17. Apenas um paciente ainda está em estado gravíssimo.

Tratamento Fora de Domicílio

O acidente aconteceu na última sexta-feira, 7, quando uma embarcação ancorada no Rio Juruá, na região do bairro Miritizal, em Cruzeiro do Sul, era preparada pra transportar combustíveis e pessoas para os municípios de Porto Walter e Marechal Thaumaturgo. Ao todo, 18 pessoas ficaram feridas, a maioria em estado grave e gravíssimo.

Em ação articulada e colaborativa com a Sociedade Brasileira de Queimados (SBQ), Presidência da República, Força Aérea Brasileira, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e toda a rede integrada do Sistema Único de Saúde, o governo do Acre iniciou os procedimentos para o atendimento em centros especializados.

Os pacientes que apresentavam quadro clínico favorável começaram a ser transferidos na segunda-feira, 10.  Seis foram levados para o Hospital João XXIII, em Belo Horizonte, um foi transferido para unidade de referência em Goiânia e quatro para Brasília.

Proprietário do barco presta depoimento

Em Cruzeiro do Sul, a Polícia Civil segue com a investigação para esclarecer as causas do acidente. Conforme relatos das doze testemunhas já ouvidas pelo delegado Lindomar Ventura, responsável pela investigação, uma fagulha na bateria do motor, em contato com o combustível teria provocado a explosão do barco.

Nesta sexta-feira, 15, o proprietário do caminhão, que dirigia o veículo no momento em que o barco era abastecido com combustível, prestou depoimento. À polícia, o motorista disse que não sabia que no barco havia outras pessoas, além da tripulação, e afirmou que todos os procedimentos de segurança recomendados para a operação foram tomados.

Ainda segundo a polícia, o motorista do caminhão é devidamente habilitado para Movimentação de Produtos Perigosos (MOPP) e o veículo registrado na distribuidora para transportar combustível.