No 7 de Setembro

“É preciso que as pessoas entendam que devem tomar a vacina”, diz Gladson Cameli, em solenidade na Biblioteca Pública

Às vésperas de completar a chegada ao Acre de um milhão de doses para a imunização contra Covid-19 , governador fez apelo para que as pessoas que ainda não se vacinaram procurem os postos de saúde

Nas celebrações do 7 de Setembro, Dia da Independência do Brasil, o governador do Acre, Gladson Cameli, optou por um discurso de união entre os poderes, e de responsabilidade entre as pessoas, para que a vacinação contra a Covid-19 continue reduzindo os índices de mortes e de novas contaminações pelo coronavírus no estado.

Gladson Cameli discursa na solenidade do Dia da Independência do Brasil, nesta terça-feira; governador fez apelo para que pessoas compareçam à vacinação. Foto: Neto Lucena/Secom

“Independência significa liberdade e liberdade significa responsabilidade. Só podemos ser livres realmente se tivermos responsabilidade com os nossos atos. Então o Brasil, para continuar a ser livre e independente, precisa da responsabilidade de cada um de nós, pela nossa vida e pela vida dos nossos semelhantes”, afirmou Cameli, em cerimônia organizada pelo governo em frente à Biblioteca Pública, em Rio Branco, onde se deu o hasteamento do Pavilhão Nacional.

O presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Acre, deputado Nicolau Junior; o governador do Acre, Gladson Cameli; e a desembargadora-presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Acre, Waldirene Cordeiro; no hasteamento do Pavilhão Nacional. Foto: Neto Lucena/Secom

Mesmo com uma queda substancial no número de casos positivos, de internações e de mortes decorrentes da Covid-19 no Acre, o governo do Estado continua alerta e optou por realizar ato solene sem a presença massiva da população e do tradicional desfile cívico-militar. E, pelo significado histórico e com todo o sentimento de patriotismo, o governador fez questão de convidar os chefes de poderes, autoridades das Forças Armadas no Acre e secretários para a cerimônia.

Governador Gladson Cameli posa para a foto com família que esteve prestigiando a cerimônia de celebração do Dia da Independência do Brasil. Foto: Neto Lucena/Secom

O governador lembrou que todos precisam ser também responsáveis para que a contaminação seja reduzida a zero e exortou a população que ainda não se vacinou a comparecer ao mutirão da vacinação, realizado na Biblioteca Pública.

Governador Gladson Cameli com autoridades na solenidade do Dia da Independência do Brasil, nesta terça-feira. Foto: Neto Lucena/Secom

“Precisamos ter responsabilidade com a nossa saúde e a pandemia de Covid-19 mostrou a importância de ter um sistema de saúde eficiente para salvar vidas. Por isso, criamos dois hospitais permanentes para atender as vítimas dessa terrível doença e realizamos todos os esforços possíveis para trazer as vacinas necessárias e imunizar a população”, ressaltou Gladson Cameli, num breve retrospecto.

Governador Gladson Cameli conversa com mãe que compareceu ao mutirão da vacinação, na Biblioteca Pública. Foto: Neto Lucena/Secom

“Agora, é preciso que as pessoas entendam que devem tomar a vacina. Estamos chegando a um milhão de doses disponíveis, mas chega de pauta negativa. Chega de interrogações. Venham se imunizar para que possamos acabar logo com esse mal”, completou o chefe do Executivo estadual.

Grupo Som da Madeira em apresentação especial na solenidade de 7 de Setembro. Foto: Neto Lucena/Secom

Na ocasião, Gladson Cameli sancionou também a lei 3.688, de incentivo à leitura e à escrita, que foi seguida de apresentações culturais selecionadas pela Fundação Elias Mansour. Os artistas Mariana Ravena, que é educadora musical, e o multi-instrumentista Paulo Nobre apresentaram as canções Aquarela do Brasil, de Ary Barroso, Seringueiro, de Tião Natureza, e Canto das Três Raças, de Mauro Duarte e Paulo César Pinheiro, composição que se popularizou na voz de Clara Nunes. Ainda na parte cultural, o grupo de chorinho Som da Madeira deu o tom.

Governador Gladson Cameli cumprimenta integrante da Polícia Rodoviária Federal presente à solenidade. Foto: Neto Lucena/Secom

O secretário de Desenvolvimento Urbano e Regional do Acre, Luiz Felipe Aragão, também apresentou o projeto de construção do Memorial às Vítimas da Covid-19, idealizado pelo governo Gladson Cameli, com investimento de R$ 350 mil, a ser edificado em frente ao Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Estado do Acre, o Into-AC.

Veículos da polícia em comboio cívico na Avenida Getúlio Vargas; por causa da pandemia de Covid-19, por dois anos não há desfile de pessoas de instituições no Acre. Foto: Neto Lucena/Secom

“Essa é uma ação solidária para preservar a memória dos acreanos que perderam a vida por causa do novo coronavírus e, assim, oferecer um lugar comum de luto e de homenagens”, disse o secretário, mostrando imagens que foram transmitidas em um telão para o público.

Banda Furiosa, da Polícia Militar do Estado do Acre, abrilhantou solenidade, nesta terça-feira, 7, em frente à Biblioteca Pública. Foto: Neto Lucena/Secom

Ao fim do evento, os presentes assistiram ao comboio motorizado das polícias Militar e Civil e do Corpo de Bombeiros. Também participaram da solenidade a primeira-dama Ana Paula Cameli, o presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Acre, Nicolau Junior; a presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Acre, Waldirene Cordeiro; o prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom; o presidente da Câmara de Vereadores de Rio Branco, N. Lima; e a deputada federal Jéssica Sales, além da procuradora-geral de Justiça do Ministério Público, Kátia Rejane Araújo; a defensora pública-geral, Simone Santiago; o superintendente da Polícia Rodoviária Federal, Getúlio Gomes; e representantes do Exército Brasileiro, da Marinha do Brasil e da Força Aérea Brasileira.

Veja mais fotos