Os investimentos ampliaram as ofertas de emprego (Foto: Assessoria Sedens)
Investimentos ampliaram as ofertas de emprego (Foto: Assessoria Sedens)

Nos últimos quatro anos, a área industrial do Acre deu um salto de crescimento. Foram construídos sete parques industriais no interior do estado e ampliados os parques de Xapuri e Rio Branco.

Por meio da Comissão Política de Incentivo às Atividades Industriais (Copiai), foram concedidos quase R$ 300 milhões em incentivos fiscais e mais de 70 indústrias receberam concessões de terrenos para se instalaram nos parques.

Esses investimentos ampliaram as ofertas de emprego e a receita do estado e dos municípios. Tarauacá e Cruzeiro do Sul também receberam a instalação de Complexos Industriais Florestais voltados à ampliação dos produtos de madeira, com capacidade de atender as demandas de mercado e integrar-se aos programas governamentais.

As pequenas indústrias e as agroindústrias também foram fortalecidas, como a indústria de engarrafamento de água mineral em Cruzeiro do Sul, a agroindústria de rapadura de Rio Branco, a agroindústria de extração de óleos de murmuru e buriti em Rodrigues Alves, a agroindústria de empacotamento de feijão em Marechal Thaumaturgo, a agroindústria de embutidos de peixe no Bujari e o centro industrial das biscoiteiras de Cruzeiro do Sul, entre outras.

As cadeias tradicionais no Estado, como a de borracha e castanha, também receberam incentivos da política industrial. Em Sena Madureira, foi implantada uma unidade industrial de borracha de Granulados Escuros Brasileiros (GEB), e em Rio Branco o Estado apoiou a construção da maior indústria de beneficiamento de castanha-do-brasil, com capacidade para processar 200 toneladas por mês, tendo condições de importar castanha de Rondônia, Amazonas e Pará.

Parque Industrial de Cruzeiro do Sul é exemplo de crescimento

Metalúrgica no Parque de Cruzeiro do Sul é uma das empresas que mais gera empregos (Foto: Assessoria Sedens)
Metalúrgica no Parque de Cruzeiro do Sul é uma das empresas que mais gera empregos (Foto: Assessoria Sedens)

Inaugurado há pouco mais de dois anos, o Parque Industrial de Cruzeiro do Sul já foi 100% ocupado, e o governo já adquiriu um terreno com cerca de 15 hectares para atender a demanda local.

São 23 empresas, incluindo marcenarias, metalúrgicas, fábricas de café, de argamassa, de derivados de concreto, de bebidas, de alimentos e uma indústria de beneficiamento de madeira. Juntas, elas empregam mais de 200 pessoas.

Robson Nunes é um dos maiores empregadores do Parque Industrial de Cruzeiro do Sul. Ele possui uma metalúrgica e trabalha com estruturas metálicas e pré-moldados de concreto em geral. Atualmente tem mais de 80 funcionários e uma receita anual de R$ 6 milhões.

“Estou há quase dois anos trabalhando aqui. A estrutura do parque é muito boa, temos espaço para trabalhar, a empresa tem como se expandir e os clientes sabem onde nos encontrar”, comenta.

Incentivos governamentais atraem novos investidores

Empresario amazonense investe em indústria de café no Parque Industrial de Feijó (Foto: Assessoria Sedens)
Empresario amazonense investe em indústria de café no Parque Industrial de Feijó (Foto: Assessoria Sedens)

O investimento que o governo do estado tem realizado na área industrial tem atraído investidores de outros centros. Em Feijó, por exemplo, o empresário amazonense Dário Pinheiro investiu mais de R$ 700 mil em uma indústria de café, que tem capacidade de processar mais de três mil quilos por dia.

“O Acre é um estado bom para nele investir, pois o governo oferece boas condições. Eu consegui este terreno no parque industrial de Feijó depois que apresentei meu projeto na Copiai, e logo foi aprovado”, explica.

A fábrica já está prestes a ser inaugurada e vai gerar dezenas de empregos diretos e indiretos, além de aquecer os plantios de café na região.