Novo álbum

Descordantes lança Quietude e embala fãs em noite romântica na Concha

Da imersão ao delírio. Assim foi o lançamento oficial do segundo disco da banda Descordantes: o “Quietude”.  O evento foi realizado na noite de domingo, 11, na Concha Acústica do Parque da Maternidade. A banda Euphonicos e Mini Orquestra do Absurdo com Diogo Soares fizeram o pré-show.

Show de lançamento aconteceu no último domigo na Concha Acústica (Foto: Alexandre Noronha/Secom)

As faixas do novo álbum foram liberadas a pouco mais de 20 dias, mas parte do público que prestigiava a banda já estava bem familiarizada a cada arranjo e letra.

Bastou Dito Torres, George Naylor, Heriko Rocha e Saulo Machado subirem ao palco para que os fãs cantassem cada estrofe do repertório. O ápice, contudo, se deu quando os Descordantes incluíram no setlist as músicas do álbum Espera a Chuva Passar, seu primeiro disco e sua versão de Você me vira a cabeça, de Alcione.

Entre os fãs presentes no show estava a servidora pública Mayara Ferreira que contribuiu com o financiamento coletivo do segundo disco da banda. “Fizemos uma arrecadação [ela e um grupo de amigo]. Participamos de shows. Gosto muito do trabalho deles”, disse Mayara Ferreira.

Imersão

George Naylor, baterista da banda, conta que o segundo álbum passou por um processo criativo diferenciado. “Ficamos 40 dias imersos na música, numa chácara. Ao contrário do primeiro disco que gravamos num estúdio. Nesse, levamos todo equipamento e ficamos mergulhados no universo da música”, detalhou.

O vocalista Dito Torres afirma que todo o processo, porém, não foi tão simples. “Durante alguns momentos pareceu que não ia rolar. Mas, agora, está tudo dando certo. Está muito bonito. Deu muito trabalho, mas valeu a pena. Para a gente, é uma realização”, confessou o artista.

Na ficha técnica dos dois discos o grupo conta com aporte de João Vasconcelos, produtor musical que integrou a banda acreana Los Porongas e, hoje, atua na área de produção musical em São Paulo.

Quietude

Público marcou presença no lançamento do álbum Quietude (Foto: Diego Gurgel/Secom)

O segundo disco foi produzido com apoio coletivo por meio do Catarse, uma plataforma digital de visa viabilizar projetos financeiramente e do Fundo Municipal de Cultura. O grupo arrecadou, no Cartase, pouco mais de R$ 26 mil, ultrapassando a meta proposta que era de R$ 20 mil.

A cada contribuição, o colaborador recebia um brinde. Entre os brindes estavam botons, nome no encarte e até mesmo um show intimista da banda na sala do colaborador.

Vai ver, Cá entre Nós e Trem Fora dos Trilhos são algumas das 11 faixas de Quietude que tem também duas regravações.

O disco está disponível no Spotify, Youtube, Deezer e Apple Music.

A banda revelou que depois de lançado em Rio Branco, o público dos municípios também terá oportunidade de conhecer o trabalho. “Firmamos uma parceria com a Secretaria de Estado de Educação e vamos levar cultura por meio da música as demais cidades do Acre, incluindo os isolados”, revelou George Naylor.

Transmissão no Facebook

Quem não pode prestigiar o show na Concha Acústica, teve a oportunidade de acompanhar, ao vivo, pelo Facebook Notícias do Acre. A transmissão feita pela rede social teve alcance de 15 mil pessoas, além de compartilhamentos e inúmeros comentários.

Show foi transmitido ao vivo pela Notícias do Acre via Facebook (Foto: Alexandre Noronha/Secom)

“Valorizamos toda a audiência que têm as redes sociais como uma da ferramentas para divulgarmos as ações de governo e também ações em que o Estado entra como parceiro. O show dos Descordantes é uma dessas atividades que fortalece a cultura acreana e foi muito importante fornecer aos internautas a possibilidade de conhecer esse trabalho”, disse a secretária de Comunicação, Andréa Zílio.

Amor declarado

Já no final do show, o público foi surpreendido com uma cena inusitada e romântica antecedendo o Dia dos Namorados. Uma fã subiu ao palco para ler uma declaração de amor que foi concluída com um pedido de casamento. Quem assistia da plateia vibrou com a atitude e a banda deu o tom ao clima cantando os versos de Enquanto eu puder, faixa do disco Espera a Chuva Passar.