monitoramento

Defesa Civil identifica estabilidade no nível dos rios, mas alerta sobre possíveis mudanças

Os níveis dos rios do Acre apresentaram estabilidade durante a medição realizada pela Defesa Civil estadual nesta terça-feira, 23. Devido às enchentes ocorridas no estado, um total de 110.766 pessoas foram atingidas nos últimos dias.

Defesa Civil mantém o monitoramento do nível dos rios. Foto: Marcos Vicentti/Secom.

Os dados foram divulgados por meio do relatório da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil. De acordo com o documento, dez municípios estão em situação de calamidade pública, decretada pelo governo do Estado, sendo os mais afetados Cruzeiro do Sul, com 33 mil pessoas atingidas; Tarauacá, com 28 mil; e Sena Madureira, com 17.376.

“Mesmo com essa estabilidade, a Defesa Civil continua em alerta porque ainda estamos no mês de fevereiro, lembrando que em Sena Madureira ocorreu a maior cheia da história em 1997 e o nível do rio estava entre 19 e 20 metros no mês de abril, e atualmente está em 18 metros”, ressaltou o coordenador da Defesa Civil, Eudemir Bezerra.

O Estado está elaborando relatórios para poder receber recursos do governo federal, mas conta também com doações de todo o país em prol da campanha de ajuda às famílias atingidas, que até o momento recebeu o valor de R$ 5.500. A população também pode ajudar com a doação de fraldas, massa de mingau, material de higiene e limpeza, roupas calçados e alimentos.

Banner oficial da campanha Seja Solidário. Arte: Secom

O governo do Estado tem disponibilizado toda a sua estrutura, desde a ação social até a de segurança, com o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar, que têm realizado rondas nos abrigos para garantir a segurança e atendimento da população atingida pelas cheias.

“O trabalho da Defesa Civil também tem sido o de levantamento de dados, para que, por meio do conhecimento atualizado da situação, sejam estabelecidas políticas públicas para as pessoas que tanto necessitam nesse momento”, destacou o coordenador.