Cruzeirenses debatem o Plano Estadual de Educação

(Foto: Sérgio Vale/Secom)
O plano procura atender aos anseios da população (Foto: Sérgio Vale/Secom)

A Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) realizou nesta quinta–feira, 18, em Cruzeiro do Sul, audiência pública para debater o Plano Estadual de Educação, que está em seus ajustes finais e deverá ser votado na próxima quarta-feira. A ativa participação dos cruzeirenses chegou a surpreender a presidente da Comissão de Educação da Aleac, deputada Leila Galvão (PT) e o relator da matéria, deputado Daniel Zen (PT).

1 (6)
A audiência pública foi realizada nesta quinta, 18 (Foto: Onofre Brito)

Aconteceram várias sugestões para alterações na redação final voltadas para o ensino especial e a valorização profissional, além de sugestões de novas estratégias. As sugestões, tanto as apresentadas na audiência realizada anteriormente em Rio Branco quando as de Cruzeiro do Sul, serão objeto de uma análise final, mas, segundo a presidente, elas poderão ser incorporadas ao texto final em cerca de 95%.

“Pretendemos assim que o plano possa chegar em sua redação final traduzindo da melhor forma possível os desejos e anseios da sociedade no que diz respeito às políticas públicas educacionais para os próximos dez anos” ressaltou.

O encontro ainda teve a presença dos deputados Nicolau Júnior, Jesus Sérgio e Jairo Carvalho, do secretário estadual de Educação Marco Brandão, do secretário municipal de Educação Ivo Galvão, além de diretores e professores e pais de alunos.

Plano abrangente

A comunidade cruzeirense compareceu em massa (Foto: Onofre Brito
A comunidade cruzeirense compareceu em massa (Foto: Onofre Brito

No plano constam 19 metas e dezenas de estratégias. Uma das metas prevê a erradicação plena do analfabetismo até o final da vigência do plano; outra prevê a universalização do ensino médio, o que já foi atingido no ensino fundamental. Também está prevista a ampliação do atendimento em creches – que hoje está em cerca de 10% na população de zero a três anos – para pelo menos 30%.

O plano contempla ainda estratégias e metas voltadas para a educação indígena, especial, educação de jovens e adultos, para a questão da valorização e desenvolvimento profissional, a questão do regime de colaboração entre os sistemas de educação federal, do estado e dos municípios e ainda questões relacionadas ao financiamento das políticas educacionais.