Estadual

Conferência de Promoção da Igualdade Racial é realizada no Acre

“Um ato de resistência do povo negro.” Foi assim que Almerinda Cunha, Diretora do Departamento de Promoção da Igualdade Racial do Acre, definiu a IV Conepir – Conferência Estadual de Promoção da Igualdade Racial.

“Estamos vivendo um momento de retrocesso. Então, ou a gente se junta para defender os nossos direitos ou iremos perder o que já conquistamos com tanta dificuldade”, destacou.

Cunha lembrou ainda que o evento é um marco de vitória, porque o Acre conseguiu realizar conferências municipais em todos as 22 cidades. “Considero essa conferência vitoriosa  porque antes da estadual já haviam sido realizados debates em todo o estado”, frisou.

A conferência tem como tema principal “O Acre pleno de direito na década dos afrodescendentes”, tendo se iniciado na manhã desta terça-feira, 31, na Universidade Federal do Acre (Ufac), e vai até quarta-feira, 1.

Um dos objetivos do encontro é discutir as desigualdades sociais que afetam as populações negra e indígena.

Da conferência sairão propostas para ações de promoção da igualdade racional em nível nacional (Foto: Alexandre Noronha/Secom)

Jota Conceição, chefe da Divisão de Direitos Individuais da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), lembrou que esse movimento é um grande marco histórico “em que o estado brasileiro reconhece as desigualdades sociais que a comunidade negra viveu ao longo da história”.

Preparação para o nacional

Da Conferência Estadual vão ser tiradas propostas e delegados que irão ser apresentadas durante o Seminário Nacional, que será realizada de 27 a 30 de maio de 2018, em Brasília. Dandara Tonantzin, representante do Conselho Nacional da Igualdade Racial, está participando das discussões e disse que o estado está dando um exemplo para o país.

“O Acre é o quarto estado brasileiro a realizar essa conferência mostrando que a pauta da igualdade racial é de fato, pauta prioritária para esse governo. Então quero parabenizar a todos pela grande iniciativa”, ressalta.

Realizado pelo governo do Estado, por meio da Sejudh, a conferência conta com diversos órgãos locais parceiros voltados para a promoção da igualdade racial. Conta com representantes de movimentos sociais de toda a região.