Comunidade Segura terá novas ações no Calafate

Morador do bairro há 56 anos João Batista Lira, acha a iniciativa muito importante (Foto: Pedro Paulo)
Morador do bairro há 56 anos João Batista Lira, acha a iniciativa
muito importante (Foto: Pedro Paulo)

Há 30 dias, com o envolvimento de mais de 15 instituições públicas, o governo do Estado lançou no bairro Calafate o Comunidade Segura. De acordo com Nabor Sales, que coordena o projeto, outra ação já está preparada para o próximo dia 10, tendo como público alvo mulheres.

Trata-se do Cozinha Brasil, um programa do Sesi que, por meio de parceria com a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) vai oferecer cursos para a população. Conforme Sales, os cursos oferecidos pelo Serviço Social da Indústria (Sesi), são ministrados em uma cozinha didática móvel, em espaços comunitários.

“Tem dez horas de duração e é dirigida à formação de agentes de educação alimentar. O projeto nasceu pactuado com o governo do Estado para garantir mais segurança, além do trabalho policial”, destacou.

O que pensa a comunidade do Calafate

Comunidade Segura terá ações semanais nos bairros Taquari e Calafate (Foto: Andrey Santana)
Comunidade Segura terá ações semanais nos bairros Taquari e
Calafate (Foto: Andrey Santana)

Até o momento, mais de três mil atendimentos foram realizados durante as ações do Comunidade Segura, no Calafate e Taquari, em diversas áreas de atuação do Estado e da Prefeitura

Na opinião do professor Atalibas Guimarães, o Comunidade Segura é um sucesso. “Só em perceber como o projeto está sendo executado já é um avanço. O objetivo é despertar o interesse da sociedade, isso nós conseguimos, porque, as pessoas estão vindo buscar informações na escola”, disse.

Morador do bairro há 56 anos João Batista Lira, acha a iniciativa muito importante. Ele disse que as pessoas são muito frias, agem com pouco respeito uns com os outros, muito diferente da infância que teve quando o local ainda era um seringal.

“É uma questão de cultura. Olhe, trabalho neste velho engenho há mais de 26 anos, vejo que a polícia roda direto não acontece nada, durante o dia é uma tranquilidade só. A noite fica mais temeroso, mas o Comunidade Segura vai nos devolver essa alegria de andar livremente a qualquer hora”, pondera.