Com primeiro frigorífico de desossa, Acre avança ainda mais na industrialização

Quando chegar no auge, frigorífico irá processar de 40 a 50 toneladas de carne, gerando até 150 empregos diretos (Foto: cedida)
Quando chegar ao auge, frigorífico irá processar de 40 a 50 toneladas de carne, gerando até 150 empregos diretos (Foto: cedida)

O governador Tião Viana anunciou que o primeiro frigorífico de desossa de carne bovina do Acre começou a operar nesta quarta-feira, 17. A unidade do frigorífico Frigonosso, em Rio Branco, inicia suas operações de forma experimental, e no auge da produção será capaz de processar de 40 a 50 toneladas de carne, gerando até 150 empregos diretos.

O frigorífico de desossa marca uma mudança grande no cenário industrial e econômico do Acre, fortalecendo o avanço que o estado vem passando. Antes, a carne bovina com osso do Acre era enviada para outros estados, de onde só depois voltava com os formatos dos cortes encontrados no comércio varejista.

Segundo o empresário Murilo Leite, o Frigonosso já atuava com o abatimento de bovinos, numa média de 370 animais por dia. Com a unidade de desossa, começa uma nova fase, agregando valor à carne e se preparando para vender a outros estados e países, além de abastecer o mercado interno.

“Estamos com todas as autorizações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para funcionamento e exportação. Vamos começar a receber a visita de representantes comerciais de outros países, e já temos para semana que vem uma visita agendada com empresários do Egito”, conta Leite.

A unidade de desossa contou com todo o apoio do Estado para seu funcionamento, com o governador Tião Viana como principal incentivador, já que o desenvolvimento da atividade industrial é uma de suas principais metas de governo. O Frigonosso ainda inaugurará outra unidade de desossa em até 60 dias, dessa vez em Senador Guiomard.