esporte

Com apoio do governo, Futebol Solidário no Alto Acre arrecada mais de 5 toneladas de alimentos

Dentro de campo, craques do passado e outras celebridades da mídia nacional, fora dele, uma goleada de solidariedade. A 2º etapa da quinta edição do Projeto Futebol Solidário, realizado na noite deste sábado, 26, em Epitaciolândia, arrecadou mais de 5 toneladas de alimentos que serão destinados para famílias em situação de vulnerabilidade social, na região do Alto Acre.

Presença dos convidados ilustres confirmou o sucesso da segunda etapa do Programa que usa o futebol para ajudar centenas de famílias no Estado Foto: Alexandre Lima/Cedida

O público que foi ao estádio Antônio Araújo Lopes, viu em campo o campeão mundial pelo São Paulo, Aluízio Chulapa, Amaral, Alex Dias, o ator Eri Jhonson, o ex pugilista Popó Freitas, o anão Pedrinho, o ex BBB Felipe Prior e cantor Elias Monkbel, do hit carpinteiro.

Com apoio do governo do Estado, que ofertou toda a logística para a vinda dos ilustres convidados, o Futebol Solidário teve a participação também da Seleção Master de Epitaciolândia, da Polícia Nacional de Cobija e a equipe dos Índios Manchineri, de Assis Brasil.

O prefeito de Epitaciolândia, Sérgio Lopes, anfitrião do evento, recebeu ainda a visita de Fernanda Assem, prefeita de Brasileia e do prefeito de Assis Brasil, Jerry Correia.

“O resultado desse evento foi além da nossa expectativa. Fizemos a proposta de trazer para o Alto Acre e o governo abraçou a proposta, tornando possível o que vimos aqui hoje”, comemorou Lopes.

O diretor de Esportes da Secretaria de Educação, Júnior Santiago, representou o governo do Estado no evento e disse que o sucesso do projeto mostra o quanto o governo está comprometido com o esporte e as causas sociais. “O governador determinou nosso total envolvimento no projeto e ofertamos todo o apoio necessário. Saio daqui feliz pelo resultado alcançado”, disse Santiago.

Índios viajaram mais de 24 horas para jogar

Índios Manchineri fizeram uma viagem de 24 horas para participar do torneio e voltaram pra casa levando as primeiras doações.
Foto: Alexandre Lima

Coordenada pelo prefeito Jerry Correia, a equipe dos índios Manchineri encarou uma saga para participar dessa etapa do projeto. As aldeias onde moram estão localizadas as margens do rio Yaco, e para chegar até Epitaciolândia foi preciso encarar, barco, trilha na mata e ônibus.

“A maioria mora em aldeias às margens do rio Yaco. Eles enfrentaram doze horas de barco, depois percorreram setenta e cinco quilômetros de ramal para chegar em Assis, e de lá vieram de ônibus. Mas para eles e pra todos nós valeu a pena”, comentou o prefeito de Assis Brasil.

Donos da casa vencem a disputa

O torneio teve cinco jogos. No primeiro, a equipe das Estrelas perdeu para a Seleção Master de Epitaciolândia por 2×1. Em seguida os indígenas encararam o time B das Estrelas e venceram por 1 x0.

Depois, os donos da casa encararam a equipe da Polícia Nacional de Cobija e golearam por 4 x 0, ficando com o título simbólico dessa edição do projeto.