Capacitação

Com a presença do ministro Sérgio Moro, governo inicia Curso de Unidades Especializadas de Fronteira

O Governo do Estado do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública do Acre (Sejusp), em parceria com a Secretaria de Operações Integradas (Seopi) do Ministério da Justiça e Segurança Pública, realizou na tarde desta segunda-feira, 18, a abertura oficial do Curso de Unidades Especializadas de Fronteira – Nível Multiplicador.

A solenidade de abertura, que aconteceu na sede do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), em Cruzeiro do Sul, contou com a participação do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, e do governador, Gladson Cameli, além das demais autoridades dos poderes executivo e legislativo federal, estadual e do município de Cruzeiro do Sul.

O curso terá carga horária de 160 horas e será realizado em Cruzeiro do Sul. Tem como objetivo capacitar os profissionais de Segurança Pública para atuar como multiplicadores. A temática das instruções será voltada para as Unidades Especializadas de Fronteira em atendimento ao Programa Nacional de Segurança nas Fronteiras – VIgia.

Evento contou com a presença de autoridades dos poderes executivo e legislativo federal, estadual e do município de Cruzeiro do Sul Foto: Diego Gurgel

Na oportunidade, o ministro Sérgio Moro destacou a necessidade do trabalho em conjunto das forças de segurança contra o crime organizado. “Nós precisamos de integração. Isso significa que nós policiais federais, policiais rodoviários federais, policiais civis, policiais militares, bombeiros militares e outras agências também encarregadas da aplicação da lei como Receita Federal, temos que compartilhar informações, inteligência, temos que compartilhar operações. E esse é o mote principal do programa Vigia, que começa agora em Cruzeiro do Sul”, afirmou.

O Programa Nacional de Segurança nas Fronteiras (Vigia) visa fortalecer a prevenção, o controle aduaneiro, bem como a repressão de ilícitos nos estados que fazem fronteiras com os países sul-americanos. Os profissionais capacitados constituirão as unidades especializadas nas instituições de Segurança Pública, defesa, inteligência, fiscalização e controle de toda a região de fronteira do Estado.

A região é caracterizada pela grandiosa extensão fronteiriça, com uma faixa total de 2.231 km, sendo 666km com a Bolívia e 1.565km com o Peru. Com isso, o Acre e outros estados de fronteira se tornaram rotas para o tráfico de drogas, armas, pessoas, animais silvestres entre outros. Além de produtos de contrabando e descaminho, saída de veículos furtados e/ou roubados para crimes de evasão de divisas.

Curso tem como objetivo capacitar profissionais de Segurança Pública para atuar como multiplicadores Foto: Diego Gurgel

Moro ressaltou, ainda, que esse é um curso inicial, que visa capacitar e aumentar o conhecimento e o aprendizado voltado ao combate dos crimes transfronteiriços. “Nós podemos sim, apesar do imenso desafio que significam as nossas extensas fronteiras, realizar um trabalho mais eficiente de fiscalização e controle. Claro que o controle absoluto é impossível, mas isso não significa que nós não podemos incrementar e melhorar o nosso controle. Cada quilo de droga que entra a menos, cada arma que entra a menos já faz uma diferença”, disse.

“A segurança pública do Estado do Acre vive um novo momento”, afirmou o vice-governador, Major Rocha. Ele destacou que em pouco mais de 10 meses de governo, o acre saiu da lista dos estados mais violentos e a sensação de segurança começou a surgir. “Graças a Deus, ao longo desses pouco mais de 10 meses de governo, nós vivemos hoje uma outra realidade. Hoje fizemos a maior entrega de viaturas do nosso estado”, disse.

Rocha ressaltou que o curso fecha o dia com um conjunto de ações que mostram a presença efetiva do Governo Federal no auxílio ao Estado do Acre, no combate à criminalidade. “Acreditamos que com essas parcerias, com a integração, nós vamos conseguir devolver a paz a nossa sociedade, esse é o nosso propósito, é propósito das forças policiais, e mais do que isso, é o anseio da nossa sociedade”, finalizou.