Cinema do Mundo exibe O Homem Duplo

Filme baseado no livro de Philip K. Dick utiliza técnica de rotoscopia na qual os atores são pintados após as filmagens

O Ponto de Difusão Digital Hélio Melo apresenta no Cinema do Mundo O Homem Duplo, baseado no livro A Scanner Darkly de Philip K. Dick, nesta quinta-feira, 31, às 19h30, no Theatro Hélio Melo. O longa possui um caráter inovador que é a técnica de rotoscopia, na qual os atores são pintados após as filmagens.

A história de O Homem Duplo baseia-se nas experiências pessoais do próprio K. Dick e seus amigos com entorpecentes. Na trama, sete anos no futuro, um policial sob profundo disfarce, Fred, interpretado por Keanu Reeves, recebe a missão de espionar seu próprio alter-ego, o traficante Bob.

Fred e Bob coexistem devido ao uso da Substância D, droga alucinógena de maior dependência já criada, derivada de uma flor. Mesmo com toda a vigilância disponível, proporcionada pelo grau de desenvolvimento tecnológico, a polícia não consegue encontrar e prender os produtores da substância.

Para reverter essa situação, a polícia e a empresa privada de reabilitação Novo Caminho anunciam a ação de um agente infiltrado chamado simplesmente de Fred, desconhecido até mesmo pelos policiais, já que na delegacia ele usa uma roupa que muda a forma de seu rosto e corpo constantemente, além de alterar sua voz.

O plano de Fred é comprar grandes quantidades da pílula, com sua fornecedora e namorada Donna Hawthorne, interpretada por Winona Ryder, e com o passar do tempo levá-las para a fonte da produção. No entanto, seu alter-ego Bob segue utilizando cada vez mais drogas, fazendo com que sua personalidade se desvirtue cada vez mais a ponto de não conseguir mais distinguir entre o papel de usuário e o policial disfarçado.

Apesar de alguns dos elementos do filme não existirem – como a roupa-camaleão que torna o policial Fred impossível de ser identificado no departamento de polícia -, a história é bastante ancorada na realidade dos usuários de drogas, algo que a opção pela rotoscopia potencializa, dando à trama contornos oníricos.

Cinema do Mundo – O Cinema do Mundo faz parte do projeto Pontos de Difusão Digital, uma criação do Ministério da Cultura que propõe oferecer apoio à difusão da produção audiovisual brasileira independente. As sessões acontecem todas as quintas-feiras às 19 horas, onde são apresentados filmes conhecidos nacional e internacionalmente, aclamados pelo público e pela crítica, objetivando levar o melhor da sétima arte ao conhecimento do público.

Os Pontos de Difusão Hélio Melo é coordenado pelo Governo do Estado, através da Fundação Elias Mansour, em parceria com a Associação Brasileira de Documentaristas e Curta-Metragistas do Acre.