César Messias diz que deixa governo com sensação de dever cumprido

Vice-governador por dois mandatos, César Messias segue agora para a Câmara Federal (Foto: Gleilson Miranda/Secom)
Vice-governador por dois mandatos, César Messias segue agora para a Câmara Federal (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

“Mais vice que eu, só o Vasco”, brinca o vice-governador César Messias. Com esse bom humor que em discursos e nas conversas com os amigos ele se referia ao cargo que exerceu por oito anos como vice-governador do Estado do Acre.

Ouça a entrevista de César Mesias

A jornada deste cruzeirense no Poder Executivo começou ainda na gestão de Binho Marques e seguiu na primeira gestão de Tião Viana, de quem César Messias é amigo pessoal e ao longo de quatro anos mostrou-se parceiro nos momentos bons e nas atribulações enfrentadas na gestão.

Em sua despedida, na manhã de quarta-feira, 31, César Messias foi ao encontro do governador Tião Viana, no Gabinete Civil, acompanhado pela filha Vanessa Messias e pelo genro José Augusto Onety, ambos médicos. Após a conversa com Tião Viana, o vice-governador concedeu entrevista exclusiva à Agência de Notícias do Acre (ANA) destacando os anos dedicados ao trabalho desempenhado no governo de um Estado que ele contribuiu para o desenvolvimento.

Confira os principais trechos da entrevista:

Avaliação dos últimos quatro anos –“Avalio esses quatro anos de maneira muito positiva. Este período me permitiu a realização como gestor público por causa das demandas que foram passadas para mim dentro do governo. Encerro esses quatro anos de mandato sabendo que contribui com o meu Estado, com o povo do Acre”.

Parceria com Tião Viana – “Tião Viana foi um parceiro que dividiu comigo o governo. Não só comigo como vice-governador, mas com todas as secretarias, todos os secretários e com toda equipe de governo. Ele tinha as ideias, criava os programas e pedia: ‘Executem com competência, com lealdade e, acima de tudo, com austeridade’. Foi isso que nós realizamos”.

O legado do Executivo para a Câmara Federal – “Levo para a Câmara Federal uma grande experiência que obtive nos oito anos que fui vice-governador do Estado e também como prefeito de Cruzeiro do Sul. Deixo o governo hoje consciente de que fiz o máximo que poderia fazer pelo povo e por meu Estado”.

A missão na Câmara – “Nessa nova empreitada vou ajudar o máximo que puder também, dar o máximo de mim ao Acre e nosso povo. Sempre digo que quando a gente é eleito a um cargo político, a gente é eleito para servir o povo e eu gostei muito do slogan do nosso governo que diz ‘Servir de todo coração’ e em cima desse espírito que foi criado pelo governador Tião Viana eu quero seguir para a Câmara Federal. Quero servir ao Acre de todo coração”.

O segundo mandato de Tião – “Tenho certeza que o segundo mandato de Tião será extraordinário porque tudo aquilo que nós começamos há quatro anos na industrialização, na produção forte que está sendo promovida no Estado, vai se concretizar nesse segundo mandato do governador Tião Viana. Vou estar em outro patamar, mas sempre focado e, conhecedor de todos esses programas, que estão sendo implantados no Estado”.

A transição de faixa para Nazaré Araújo – “A Nazaré é uma pessoa maravilhosa. Tenho certeza que ela será uma grande vice-governadora, que vai ajudar muito o governador Tião Viana. Ela é uma pessoa da inteira confiança de Tião e eu fico muito feliz de estar passando o cargo de vice-governadora para Nazaré porque ela tem uma história de família bonita. É um resgate do primeiro governador eleito, pai dela, José Augusto Araújo que perdeu o mandato pela força do regime militar e nessa transição de faixa o Acre vai reviver a história do pai dela. Essa semente que foi plantada pelo pai dela da democracia, de ver um Acre produzindo. Nazaré terá condições de ajudar o governador Tião Viana a realizar. Ela é uma pessoa que eu admiro, muito competente, conhece o Estado e terá muito a contribuir nesses quatro anos de mandato”.