conscientização

Campanha dos 16 dias de ativismo encerra com resultados positivos no Acre em 2017

A campanha “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra a Mulher” iniciou em 1991, no Centro de Liderança Global de Mulheres (Center for Women’s Global Leadership – CWGL), com o intuito de promover o debate e denunciar as várias formas de violência contra as mulheres no mundo.

O período escolhido para a Campanha é bastante simbólico, já que se inicia no dia 25 de novembro, declarado como o Dia Internacional de Não Violência Contra as Mulheres, e finaliza no dia 10 de dezembro – dia Internacional dos Direitos Humanos. Desta forma, é feita uma vinculação entre a luta pela não violência contra as mulheres e a defesa dos direitos humanos.

No Estado, as atividades relacionadas à campanha são promovidas pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Estado de Políticas para as Mulheres (SEPMulheres) em parceria com as prefeituras dos municípios, Tribunal de Justiça, Ministério Público e Sociedade Civil.

Esse ano, uma caminhada emocionante e com muita energia positiva, dando visibilidade para a pluralidade de ser mulher, foi realizada no município de Brasileia, contando também com representações e lideranças dos municípios de Assis Brasil e Epitaciolândia, oficializando a abertura dos 16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra a Mulher no Alto Acre.

Em Rio Branco a campanha foi aberta oficialmente na manhã do dia 27, no Anfiteatro Garibaldi Brasil, contando com a presença da vice-governadora Nazareth Araújo e de várias autoridades que trabalham na rede de atenção e proteção a mulher em todo o estado, além da participação dos alunos das escolas estaduais Berta Vieira e Lindaura Leitão, que participam do Projeto Quem Ama Abraça durante todo o ano.

Ações, Palestras e Capacitações

Resultado de parceria entre a SEPMulheres e a Polícia Militar, uma capacitação foi realizada em novembro para humanizar ainda mais os atendimentos às mulheres vítimas de violência (Foto: Luciano Pontes)

Ao todo, seis municípios desenvolveram ações de conscientização e enfrentamento à violência de gênero. O alcance foi de mais de 2.500 pessoas, que participaram ativamente, das atividades desenvolvidas e coordenadas pela Secretaria de Política para as Mulheres (SEPMulheres) e parceiros.

Uma das atividades da Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, foi a oficina sobre o atendimento humanizado às mulheres em situação de violência, para os alunos do Curso de Formação de Oficiais da Polícia Militar.

A atividade é resultado da parceria entre a Sepmulheres e o Comando Geral da Polícia Militar do Acre, cujo objetivo é qualificar ainda mais o atendimento da Polícia Militar.

“O nosso compromisso como Secretaria de Políticas para as Mulheres vai além dos 16 dias de ativismo. A luta pelo fim da violência contra a mulher é diária e só com a união e a conscientização da sociedade é que poderemos mudar essa realidade. O governo sozinho não vence essa guerra, esse enfrentamento é responsabilidade de todos”, disse a gestora da pasta da SEPMulheres, Concita Maia.

Outra ação abrangente da campanha foi a realização do ciclo de palestras “Todas pelo Fim da Violência contra as Mulheres” que foi realizado em Sena Madureira, Epitaciolândia, Brasileia, Xapuri e Cruzeiro do Sul, como também os atendimentos da unidade móvel – Ônibus Lilás – que levou serviço social, orientação jurídica e atendimento psicológico à mais de 500 mulheres bairro Cidade do Povo e na Escola Raimundo Gomes em Rio Branco e nas cidade de Epitaciolândia e Brasiléia em parceria com as respectivas prefeituras, encerrando os 16 dias na região do Alto Acre com o show “Mulheres que Brilham”.

Entardecer Feminista, sarau cultural que encerrou os 16 dias em Rio Branco, levou para os presentes uma programação recheada de muitas apresentações artísticas: músicas, danças e poesias. No local também foi promovido um sebo literário, bazar, exposição fotográfica, batucada e oficinas sobre a história do feminismo, tipos de violência, cultura do estupro, entre outros temas.

“Mais uma vez as mulheres são protagonistas de uma nova sociedade, mostrando sua força nesse momento de muitos retrocessos sociais que enfrentamos no país. Nós, da Secretaria de Políticas para as Mulheres, somos sempre parceiras”. Finalizou a Secretária.