Brincadeiras e Visitas marcam a abertura da Semana de Museus do Acre

Evento propõe a reflexão sobre o tema Museus e Turismo numa clara demonstração da potência, da atualização e do desenvolvimento do campo museal brasileiro

 

estatua_viva1.jpg

Estátua Viva foi uma das atrações durante a visita da garotada na programação da Semana do Museu (Foto: Assessoria FEM)

Com  objetivo de integrar os Museus brasileiros como forma de intensificar essa relação com a sociedade, o Departamento de Museus e Centros Culturais do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Demu/Iphan) promove de 17 a 23 de maio, a 7ª Semana Nacional de Museus, com o tema Museus e Turismo, em comemoração ao Dia Internacional de Museus (18 de maio).  O Acre participa do evento com uma programação de atividades em todos os espaços de memória do estado: o Palácio Rio Branco, a Casa dos Povos da Floresta, o Museu da Borracha e Memorial dos Autonomistas, o Memorial José Augusto, em Cruzeiro do Sul, a Sala Memória de Porto Acre, o Museu de Sena Madureira e o Museu do Xapuri.

A abertura do evento aconteceu no último domingo, 17, às 18h30 na Praça dos Seringueiros com diversas atividades artístico-culturais: recreação com animadores , contação de histórias, estátua viva, show musical com Sandra Bhu entre outras. O público  que compareceu na abertura, composto na sua maioria por crianças participou ativamente do evento.

Realizada pelo Governo do Acre e desenvolvida pelo Departamento de Patrimônio Histórico e Cultural da Fundação de Cultura e Comunicação Elias Mansour, a Semana de Museus  traz como conceito a idéia de se criar uma interatividade entre o público, a memória e a própria temática Museus e Turismo. Os espaços de memória envolvidos abrem ao público a partir desta terça-feira, com uma programação que se entende até o dia 22 deste mês.

O tema escolhido para esta sétima edição traz mais uma oportunidade de demonstrar o potencial turístico, atratividade, pluralidade cultural e diversidade de cada lugar. O evento no Acre se consolida a cada ano como um instrumento mobilizador para que a comunidade interaja com os espaços de memória.

“Considero a Semana como um chamamento para que se reflita sobre o tema e na importância de se investir na relação Museus e  Turismo. Esse estímulo é feito por meio das diversas linguagens e manifestações artístico-culturais como teatro, contação de história, exibição de documentários, exposições, palestras, oficinas e workshops. Podemos destacar também que é cada vez mais forte a participação do público dos municípios durante toda a programação”, explica Suely Melo, Chefe do Departamento do Patrimônio Histórico e Cultural.

Programa de Qualificação de Museus para o Turismo

A relação entre cultura e turismo se fortalece cada vez mais como algo que estimula e atrai o público aos espaços de memória. Em razão desta forte característica foi criado o  Programa de Qualificação de Museus para o Turismo, encampado pelo Ministério do Turismo e o Departamento de Museus/Iphan do Ministério da Cultura.

Com o programa os dois ministérios pretendem aumentar a atratividade dos museus frente ao público em geral, e com isso trazer mais visitantes espaços de memória, além  de integrá-los ao circuito turístico cultural de modo a fortalecer essa modalidade de turismo no país.

O objetivo principal do Programa é o de transformar os museus em atrações com maior potencial turístico. Para cumprir esse objetivo os investimentos envolvem a capacitação de profissionais, a elaboração de guias, a inserção dos museus nos circuitos de turismo cultural, a renovação/inovação de técnicas expositivas e a ampla divulgação dos museus.  A idéia e a de mostrar que os museus são um espaço de convivência e compartilhamento de experiências, principalmente para o turista, uma vez que lá ele pode entrar em contato com a história e a cultura.

Desde a instituição da Política Nacional de Museus, em 2003, a Semana Nacional de Museus vem sendo promovida no mês de maio, em todo o Brasil. Na edição deste ano foram registrados 2.020 eventos em 615 instituições de todas as regiões do país. Os números evidenciam a força e o poder de articulação entre os museus brasileiros.