Brasil Livre da Rubéola

Dia D será realizado no sábado, 30. Homens e mulheres de 20 a 39 anos devem ser imunizados

O D da campanha contra a rubéola acontece no próximo sábado. Postos e unidades de saúde dos 22 municípios do Acre estarão abertos para receber homens e mulheres na faixa etária de 20 a 39 anos. Somente a vacinação é capaz de interromper a cadeia de transmissão do vírus. A campanha começou a ser realizada no dia 9 de agosto, mesmo dia em que as crianças de zero a cinco anos foram imunizadas contra a poliomielite, e será encerrada no dia 12 de setembro.

De acordo com o secretário de Saúde, Osvaldo Leal, desde o início da mobilização a cobertura vacinal chegou a 40%. Cerca de 230 mil pessoas estão aptas a tomar a vacina dupla viral (Rubéola e Sarampo). “Homens e mulheres de 20 a 39 anos devem tomar a vacina ainda que já tenham sido imunizados ou que já tenham contraído a doença”, reforçou o secretário.
No Brasil cerca de 70 milhões de homens e mulheres irão a receber a vacina contra a rubéola.

A vacina contra a rubéola só não deve ser aplicada em mulheres grávidas, em qualquer período da gestação. Esta é a única restrição à vacina. A meta do Ministério da Saúde é vacinar 34,7 milhões de mulheres e 35,3 milhões de homens. Dos 8.407 casos de rubéola confirmados no país, em 2007, 70% corresponderam a pacientes homens. A campanha envolverá todos os segmentos sociais, de empresas, instituições públicas a organizações do Terceiro Setor.

{xtypo_rounded2}O que é a rubéola?

A rubéola é uma doença aguda causada por vírus, muito contagioso, que se transmite com extrema facilidade. A pessoa doente pode apresentar manchas avermelhadas na pele, começando no pescoço, que depois se alastra para o tronco, pernas e braços.

Quais são as manifestações/sintomas da rubéola?

A doença é aguda porque os sinais principais aparecem rapidamente, as manchas no corpo (exantema) apresentam máxima intensidade no 2º dia e desaparecem até o 6º dia, durando em média de 5 a 10 dias, coincidindo, geralmente com o início da febre, que é baixa. Esses sinais colaboram para fazer a diferença com outras doenças que apresentam manchas no corpo. Podem estar presentes, também, alguns sintomas gripais, dor de cabeça, dores generalizadas, conjuntivite, coriza e tosse. É importante saber que a metade dos casos de rubéola são assintomáticos, ou seja, em 59% dos casos os sintomas não estão presentes, não são visíveis. O problema é que estes casos assintomáticos podem contagiar as pessoas suscetíveis, ou seja, pessoas desprotegidas, seja por não terem tido a doença, seja por não serem vacinadas.

Qual é o modo de transmissão da rubéola?

Os vírus são transmitidos de uma pessoa infectada para outra quando esta entra em contato direto com as gotículas de secreções que saem do nariz e da boca da pessoa infectada ao tossir, falar ou espirrar. A transmissão por meio de objetos contaminados, ou seja, a transmissão indireta, pode acontecer. Quando a grávida mantém contato com as gotículas de secreções de pessoa doente, mesmo assintomática, ela transmite o vírus para o bebê através da placenta. O vírus provoca infecção na placenta e no feto.

A rubéola não é uma doença grave o problema é quando ela é transmitida à mulher grávida. Neste caso a gestante pode abortar ou o bebê pode nascer morto, além disso o bebê pode nascer com a Síndrome da Rubéola Congênita (SRC) e apresentar alguns problemas que perduram por toda vida. Os problemas mais comuns são: deficiência auditiva (surdez), lesões oculares (retinopatia, catarata, glaucoma), problemas no coração (más formações cardíacas), problemas neurológicos.

Quais são as pessoas que receberão a vacina? E qual o imunobiológico utilizado durante a campanha?

A aplicação da vacina será indiscriminada nos homens e nas mulheres de 20 a 39 anos em todas as 27 unidades federadas do Brasil. A vacina será a Dupla Viral (Sarampo e Rubéola), independentemente do antecedente de vacinação ou doença. Em cinco unidades federadas, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Rio Grande do Norte a faixa etária será de 12 a 39 anos de idade. A vacina para o grupo etário de 12 a 19 anos de idade será a Tríplice Viral (Sarampo, Caxumba e Rubéola).{/xtypo_rounded2}

Fonte: Ministério da Saúde