Binho autoriza obras da segunda etapa do Hospital de Tarauacá

Unidade se integra a um sistema amplo que põe fim aos deslocamentos para tratamento de saúde em outras regiões


cpia_de_dsc_0024_binho_marques_tarauca.jpg

Governador Binho Marques assina ordem de serviço para a construção da segunda fase do Hospital de Tarauacá e consolida integração dos serviços de saúde pública na região. Foto: Sérgio Vale/Secom

O governador Binho Marques assinou na manhã deste sábado, 20, ordem de serviço para início da segunda etapa das obras do hospital regional de Tarauacá. O projeto é resultado da parceria entre os Governos Federal e Estadual, consolidando mais uma fase no processo de integração do acesso à saúde no Vale do Juruá, Tarauacá e Envira. Binho Marques estava acompanhado do senador Tião Viana; ex-governador Jorge Viana; secretários de Estado Aníbal Diniz, Carlos Alberto, Osvaldo Leal e Eduardo Vieira, além dos deputados Edvaldo Magalhães, Walter Prado, Moisés Diniz e Perpétua Almeida, da bancada federal acreana.

Veja galeria de imagens

De acordo com o senador Tião Viana, o hospital atenderá a 97% da demanda de Tarauacá e região. Em  outros casos, o paciente poderá recorrer ao Hospital do Juruá, em Cruzeiro do Sul, e em situações de alta complexidade será encaminhado à unidade de referência de Rio Branco, no âmbito da Fundação Hospital Estadual do Acre (Fundhacre). "Não é somente a obra de um hospital mas a etapa da conclusão de um processo de integração", disse Tião Viana. "É também a concretização de um dos mais belos exemplos de respeito à população de Tarauacá  por sua capacidade de resolução", completou o senador.

{xtypo_quote_right}Agora tem-se aqui a interiorização e a integração do sistema de saúde{/xtypo_quote_right}A obra tem custo de R$ 1.975.014,29. Outros R$ 2 milhões serão investidos em equipamentos.  O novo hospital terá 1.195,63 metros quadrados, divididos em 26 leitos e espaços como sala de raio-x, sala de exame, lavanderia, cozinha e outros. A previsão do empresário João Nascimento, dono da Construtora Nascimento, executora da obra, é que em cinco meses a unidade esteja pronta. Pelo menos cinqüenta homens e mulheres devem ser empregados na construção.

Para o secretário Osvaldo Leal, a obra conclui o esforço iniciado pelo então governador Jorge Viana e faz parte de um movimento em sua opinião "muito importante" de oferta do acesso aos serviços hospitalares sem necessidade de deslocamento para outras regiões. "Agora tem-se aqui a interiorização e a integração do sistema de saúde", disse Leal, fazendo agradecimentos ao Presidente Lula e à bancada federal. Concluído e integrado a um sistema que está em pleno funcionamento e dando resultados positivos, irá garantir um atendimento de saúde de qualidade, evitando que principalmente os moradores de Tarauacá, Feijó e Jordão, além das várias comunidades dessas regiões, tenham de se deslocar para Cruzeiro do Sul ou para a capital em busca de tratamento.

Lógica da regionalização – O movimento pela descentralização  de recursos e serviços, potencializando unidades regionais, começou em 1998. "O Jorge e o Tião Viana conseguiram mudar a lógica de os principais investimentos em saúde tinham de ser feitos em Rio Branco", lembrou o governador, citando o projeto fluminense da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) como referência para o sistema do Hospital de Tarauacá.  

{xtypo_rounded2}

CONSTRUÇÃO DA SEGUNDA ETAPA DO HOSPITAL REGIONAL

TARAUACÁ 

26 leitos

Fonte de recursos

Ministério da Saúde: R$1.975.014,29

Governo do Estado: R$179.547,29

Área: 1.195,63 metros quadrados

Leitos

9 masculinos 

12 Femininos             

4 Pediátricos      

1 Isolamento  

1 Sala de raio-x 

3 Salas de exames           

1 Sala de cirurgia         

2 Recuperação             

1 Lavanderia                 

1 Cozinha

{/xtypo_rounded2}