Ato público marca o Dia Mundial contra o Trabalho Infantil

Pessoas foram conscientizadas da importância do combate ao trabalho infantil (Foto: Angela Peres/Secom)
Pessoas foram conscientizadas da importância do combate ao trabalho infantil (Foto: Angela Peres/Secom)

Um ato público no calçadão do Colégio Acreano chamando atenção para a erradicação do trabalho infantil no Acre foi realizado nesta sexta-feira, 12, data dedicada ao Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil. A ação foi promovida pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Seds) e Secretaria Municipal de Cidadania e Assistência Social (Semcas).

Na oportunidade, foi lançada a campanha “Não ao Trabalho Infantil e Sim à Educação de Qualidade”. Além do ato público, que foi aberto com a apresentação do coral de jovens do Senac/AC, material informativo contendo informações sobre os malefícios do trabalho infantil a saúde e crescimento das crianças e adolescentes estão sendo distribuídos nos semáforos da capital

“A campanha tem como objetivo informar, mobilizar, sensibilizar e conscientizar a sociedade, as famílias, poder público e instituições privadas, que as crianças são sujeito de direito e devem estar na escola e não sendo explorada pelo trabalho infantil precocemente”, destacou a coordenadora do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil no Acre, Mariana Morais.

A secretária municipal de Cidadania e Assistência Social, Dora Araújo, chamou atenção para os malefícios do que o trabalho infantil causa ao bem-estar das crianças e dos adolescentes. “É dever da família, da sociedade assegurar a garantia dos direitos da criança e do adolescente”, alertou.

Causas do trabalho infantil

Material educativo foi distribuído com informações sobre o trabalho infantil (Foto: Angela Peres/Secom)
Material educativo foi distribuído com informações sobre o trabalho infantil (Foto: Angela Peres/Secom)

De acordo com a Unicef, os principais causadores do trabalho infantil são basicamente a pobreza e o desemprego. Diante dessa realidade, muitas crianças e adolescentes que vivem nas cidades executam tarefas diárias de trabalho, como vender balas, engraxar sapatos, além de entregar panfletos.

De acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), os trabalhadores infantis vivem em países subdesenvolvidos e em desenvolvimento. Esse problema atinge majoritariamente países subdesenvolvidos, porém, nações desenvolvidas também enfrentam esse tipo de questão. Hoje existem no mundo aproximadamente 250 milhões de crianças (idades entre 5 e 14 anos) realizando tarefas de trabalho. Desse total, pelo menos 120 milhões trabalham o dia todo, não frequentam a escola nem brincam.