referência

Até abril, Pronto-Socorro de Rio Branco realizou mais de 18 mil atendimentos em 2022

O Pronto-Socorro do Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco é a principal porta de referência em pronto atendimento do estado do Acre e de janeiro a abril de 2022 realizou mais de 18 mil atendimentos. Todos os dias são pelos menos 150 pacientes, em média. Nos dias de pico, a demanda é ainda maior.

Diferente do que acontece nos demais estados do país, onde as unidades de pronto atendimento atendem exclusivamente casos de urgência e emergência, o PS de Rio Branco mantém ambulatório para atender casos de doenças por agravo. O atendimento é feito conforme a classificação de risco.

Principal porta de referência em pronto atendimento, PS de Rio Branco atende pacientes da capital, interior e até estados vizinho (Foto: Odair Leal/Secom)

Nos primeiros quatro meses de 2022, o Pronto-Socorro de Rio Branco realizou 18.254 atendimentos; 1.924 cirurgias e 320.928 exames. Nos ambulatórios adulto e pediátrico foram realizadas 20.327 consultas médicas

Para atender toda a demanda, o serviço de ambulatório mantém equipe completa com técnicos de enfermagem, enfermeiros, clínicos gerais e pessoal de apoio para acolhimento.

“Um dos fatores para que as pessoas continuem buscando atendimento ambulatorial do PS é que elas sabem que aqui, independente do tempo de espera, elas têm atendimento garantido, com consulta, realização de exames, medicação”, enfatiza a diretora do PS, Dora Vitorino.

As segundas-feiras são sempre dias de pico, com aumento considerável da demanda. A redução no tempo de espera foi a primeira medida da atua gestão da unidade. “Quando recebemos a gestão do PS, logo observamos que as pessoas permaneciam aqui pelo menos quatro horas à espera de exames, então providenciamos para reduzir esse tempo. Hoje, a média de espera pelo atendimento ambulatorial é de 30 a 40 minutos, conforme a classificação de risco e demanda do dia,” destaca Vitorino.

Demanda

O Pronto-Socorro de Rio Branco atende pacientes da capital, interior e até municípios vizinhos. Os serviços de ambulatório são procurados pelos mais variados motivos. Os casos mais comuns são de agravos por doenças respiratórias, viroses, dores de cabeça, pressão alta. Os pacientes são, em grande maioria, idosos.