Assistência técnica e financiamento diversificam produção

Produtores apostaram no plantio de melancia utilizando técnica que permite colher a produção de um hectare no mês de junho.

melancia_100608.jpg

Rosemil e seu irmão Manoel conseguiram em 2007 colher 3 mil melancias e 900 gerimuns. O resultado foi uma renda de quase R$ 20 mil

O plantio de melancia utilizando a técnica de roçado é uma novidade na região. Os agricultores Rivanil e Rosemil que possuem uma propriedade no Pólo Wilson Pinheiro, estão colhendo a safra plantada na lua nova do mês de março. O tipo é a Crimson Sweet tradicional, que apresenta plantas uniformes e vigorosas, de crescimento indeterminado e frutos arredondados com peso entre 11 e 14 kg.

Os irmãos, de origem rural, tentaram a vida na cidade e até chegaram a trabalhar de empregado, mas desistiram quando surgiu a oportunidade de um pedaço de terra para plantar. Há dois anos adquiriram uma propriedade no pólo agroflorestal e iniciaram a produção de hortaliças que garante uma renda mensal de R$1,5 mil.

O técnico agrícola Raimundo Advincola, da Secretaria de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof) é responsável pela assistência técnica na localidade. Foi com a ajuda do técnico que os irmãos conseguiram em 2007 colher 3 mil melancias e 900 gerimuns do tipo conhecido como caboclo. O resultado foi uma renda de quase R$ 20  mil.

Com a colheita do ano passado os irmãos adquiriram despolpadeira, frízeres e motocicletas. Para este ano a expectativa é alcançar a mesma média de produção de melancia e gerimum.

Roçado irrigado – Agnaldo Souza da Silva, 36 anos, também proprietário de uma área no Pólo Wilson Pinheiro e investiu na produção de melancia utilizando a técnica de roçado irrigado por gotejamento e pretende colher cerca de 4 mil melancias até o final do mês de julho. A plantação de um hectare e meio pode render R$ 20 mil.

O Acre não é considerado um pólo produtor dessa hortaliça, principalmente, do tipo Crimson Sweet. Também a produção mais comum é em margens de rios e igarapés e com colheita prevista para o mês de agosto.  

Pronaf A  para diversificação da produção  

Com uma plantação de meio hectare de cana-de-açúcar, o agricultor Manoel Vieira Sampaio, 47 anos, espera produzir 800 quilos de açúcar mascavo. O produto tem mercado garantido por não passar por processo de refinamento, mantendo assim as vitaminas e sais minerais do caldo da cana. Também está em seus planos a fabricação de rapadura e ainda de mel, o que renderá cerca de R$ 2 mil.

Na propriedade com cerca de 7 hectares, localizada no Pólo Wilson Pinheiro, produz-se principalmente hortaliças, feijão, milho. Com recursos do Pronaf A o senhor Manoel Sampaio construiu um açude onde pretende iniciar a produção de peixes.

Com um sistema agroflorestal  (SAF) bem desenvolvido também produz polpa de frutas, principalmente de açaí e cupuaçu. O SAF é um sistema que utiliza técnica alternativa de uso da terra, na tentativa de proporcionar um rendimento sustentável ao longo do tempo, introduzindo espécies anuais nos primeiros anos, seguidas de frutíferas semi-perenes e perenes e por fim as madeiráveis, os quais podem ainda, ser consorciadas com animais em uma mesma área.