Ação integrada da Polícia garante prisão de principal autor do assalto em Feijó

Em uma parceria com a Secretaria de Segurança de Rondônia, chefe de quadrilha é encontrado e preso

Será apresentado logo mais, em Rio Branco, o acusado de chefiar a quadrilha especializada em assaltos a bancos em vários estados brasileiros, João Luiz Baronoski, um dos mentores intelectuais do assalto ao Banco do Brasil em Feijó, no Acre, no últmo dia 29 de outubro. Baronoski foi preso ontem, quinta-feira, em Porto Velho, RO, após uma ação conjunta entre as Secretarias de Segurança do Acre e de Rondônia.

No Acre, o acusado fugiu logo após o assalto ao banco. Na fuga, houve tiroteio do grupo e a Polícia Militar, que foi prontamente acionada no caso. Um policial foi morto durante a troca de tiros.

Para a Secretária Márcia Regina, a prisão de Baronoski é uma resposta à sociedade. "Nossas polícias estão unidas e trabalhando em um novo sistema que garante cada vez mais resolução aos crimes. Não temos espaço para a impunidade", garante.

As polícias Civil e Militar do Acre estiveram envolvidas na investigação e apuração do caso. "A criminalidade está cada vez mais crescente e dinâmica, e foi preciso apostar em um novo sistema de policiamento integrado para que pudéssemos ter mais agilidade e força de atuação no combate aos crimes. Foi essa a aposta do Governador Binho Marques em um modelo de Segurança que está dando certo", avalia a Secretária.

O Serviço de Inteligência da Polícia Civil do Acre foi decisiva para identificação e prisão de João Luiz Baranoski. A Polícia Militar, por sua vez, atuou em todo o processo de buscas e prisão dos demais integrantes do grupo logo após o assalto.

Em coletiva de imprensa na manhã desta sexta-feira, na sede da Sesdec, em Porto Velho, o Secretário adjunto da Segurança Pública de Rondônia, delegado Hazael Martins, acompanhado do delegado Jeremias Mendes, do GIC e delegado Wanderley Thomas, diretor da Polícia da Capital e Interior do Acre, disse que a integração entre as Polícias foi um dos fatores importantes na prisão do chefe da quadrilha.

O delegado Jeremias Mendes disse que seus policiais juntamente com os demais órgãos de informações da Polícia de Rondônia e Acre, descobriram que Luiz Baronoski estava em Porto Velho, montando as acomodações. Ele já havia alugado um apartamento e comprado além de um carro, apreendido pela Polícia, geladeira, fogão, guarda-roupa, cama Box, armários e roupas de fina marca. Tudo apreendido.

* Com informações do site Rondônia Agora.