Bombeiro Mirim

Alunos do projeto Bombeiro Mirim têm semana com aulas de salvamento em altura

Os 240 adolescentes entre 12 e 14 anos incluídos no projeto Bombeiro Mirim em Rio Branco participam, durante toda esta semana, de aulas práticas diferenciadas com técnicas de salvamento em altura, rapel e tirolesa. As aulas estão sendo realizadas pelo Corpo de Bombeiros Militar, na Arena Acreana de Esportes, localizada na região do segundo distrito da capital.

Os 240 alunos do Projeto em Rio Branco passarão pelas aulas de salvamento em altura Foto: Diego Gurgel

O projeto, que começou em 2010, está em sua nona edição tendo formado mais de 7 mil alunos em todo o estado. A iniciativa tem como objetivo despertar nos participantes o senso e a prática de cidadania e disciplina, através de atividades de preservação ambiental, prevenção de incêndios, noções de primeiros socorros, prevenção de acidentes domésticos, dentre outras.

“Nós iremos ministrar essas técnicas em altura durante toda a semana. Todos precisam passar por essa aula prática, assim como aconteceu nas aulas de salvamento aquático, primeiros socorros e combate a incêndios. Aqui no Arena são 50 metros de altura e aplicaremos técnicas de rapel individual, noções de resgate vertical, tirolesa e salvamento de vítima com técnica umbilical. Alguns têm dificuldade pela altura, outros são bem ativos e estamos sempre de olho, no final, todos acabam se superando”, disse o sargento do Corpo de Bombeiros, João Gonzaga.

O sargento do Bombeiro Militar João Gonzaga explica sobre as técnicas e a importância da segurança em altura Foto: Diego Gurgel

Moradora do bairro Tancredo Neves, a estudante de 12 anos Geovanna Thaysla diz que seu maior sonho é ser bombeira do Acre. Quando pequena, via adolescentes fardados com seus uniformes do projeto Bombeiro Mirim e pedia aos pais que a inscrevesse quando completasse a idade necessária.

“O projeto muda a nossa vida, nosso comportamento em casa, na escola, na rua e, além disso, somos preparados para salvar vidas. Toda vez que eu via os colegas fardados passando por mim eu dizia, eu também vou entrar e ser uma bombeira mirim. Hoje eu estou aprendendo técnicas de salvamento em altura e estou muito à vontade, na verdade amando aprender tudo isso”, disse feliz a aluna.

Geovanna de 12 anos, aluna da escola Neutel Maia, diz ter o sonho de ser bombeira. Foto: Diego Gurgel