Agronegócio movimentou mais de R$ 58 milhões durante a Expoacre

Nesta edição da Expoacre, o milho é o destaque, e a novidade do campus são os experimentos de soja aos produtores (Foto: Gleilson Miranda/Secom)
Nesta edição da Expoacre, o milho é o destaque, e a novidade do campus são os experimentos de soja aos produtores (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

A Secretaria de Estado de Agricultura e Pecuária (Seap) divulgou na manhã desta terça-feira, 16, o balanço financeiro do Campus do Agronegócio durante a Expoacre 2016, ocorrida de 23 a 31 de julho.

Os números são extremamente positivos. O agronegócio movimentou durante a feira R$ 58,1 milhões.

Para apresentar os números, José Carlos Reis, titular da Seap, fez questão de convidar os parceiros que foram fundamentais para o sucesso e a consolidação do empreendimento.

Estiveram presentes representantes da Embrapa, Instituto Federal do Acre (Ifac), Banco da Amazônia e das casas agropecuárias.

José Carlos Reis apresentou o balanço do Campus do Agronegócio, que movimentou mais de R$ 58 milhões durante Expoacre (Foto: Leônidas Badaró)
Reis apresentou o balanço do Campus do Agronegócio, que movimentou mais de R$ 58 milhões durante a Expoacre (Foto: Leônidas Badaró)

Reis afirma que o resultado do Campus do Agronegócio expressa os investimentos do governo no setor agropecuário.

“Quando percebemos que o investimento de todos os parceiros foi de R$ 380 mil e tivemos um volume de negócio de mais de 58 milhões, isso só mostra que o Acre está no caminho certo.  Exemplo é que este ano devemos chegar a quinze mil hectares plantados de milho. Nossa avaliação é muito positiva”, relatou Reis.

Um dos principais parceiros na realização do campus foi a Embrapa, que apostou na ideia de transformar o local no endereço da produção agropecuária acreana.

“Nossa avaliação é de que foi superpositiva, porque conseguimos aproximar a Embrapa ainda mais dos produtores, extensionistas e estudantes das áreas do agronegócio. Um exemplo foi o estande feito de bambu, que mostrou o potencial dessa planta também na construção civil”, destaca Fabiano Estanislau, representante da Embrapa.

Setor privado comemora resultados

Um bom termômetro de avaliação dos resultados do setor agropecuário durante a Expoacre vem das casas agropecuárias, que também foram parceiras do governo.

O representante de uma delas, a Casa do Adubo, anunciou que conseguiu um faturamento de mais de R$ 4 milhões durante os nove dias de feira.

“Alcançamos resultados muito bons. Tivemos um acréscimo em relação à Expoacre do ano passado, o que acaba fazendo com que os proprietários da empresa queiram investir ainda mais no Acre”, explica Maycon Araújo, da Casa do Adubo.

Quem também teve motivos de sobra para comemorar os resultados da Expoacre foi o Banco da Amazônia. Foram mais de R$ 30 milhões em financiamentos para o setor produtivo.

“Foi excelente em termos de parcerias e negócios. Tínhamos uma meta de R$ 20 milhões, e conseguimos alcançar R$ 36 milhões em negócios”, afirma André Vargas, superintendente do banco no Acre.