Acre envia toneladas de pescado para o Grupo Pão de Açúcar

A piscicultura acreana é modelo de geração de emprego e renda para outros estados (Foto: Sergio Vale/Secom)
A piscicultura acreana é modelo de geração de emprego e renda para outros estados (Foto: Sergio Vale/Secom)

Como prova de que o Complexo de Piscicultura Peixes da Amazônia é uma das apostas econômicas bem sucedidas do Acre, um contrato fechado com o Grupo Pão de Açúcar já rende bons frutos.

Na quinta-feira, 12, a primeira remessa de pescado foi enviada à companhia, que fez a aquisição de nove toneladas.

De acordo com o gestor da Secretaria de Desenvolvimento da Indústria, do Comércio e dos Serviços Sustentáveis (Sedens), Fernando Lima, semanalmente caminhões sairão de Rio Branco para atender a demanda. Na próxima semana, por exemplo, está previsto o envio de mais 12 toneladas.

O complexo de piscicultura do Acre é o mais moderno do Brasil, formado por laboratório de alevinos, fábrica de ração e frigorífico (Foto: Sérgio Vale/Secom)
O complexo conta com laboratório de alevinos, fábrica de ração e frigorífico (Foto: Sérgio Vale/Secom)

“Isso é resultado de uma visita há cerca de cinco meses feita por diversas empresas ao complexo, entre elas o Grupo Pão de Açúcar. Vieram, conheceram e avaliaram a qualidade do empreendimento e da produção. E isso nos deixa muito felizes porque representa, sobretudo, mais economia para o Acre”, destaca.

Além do Pão de Açúcar, já existem parcerias com outras empresas de grande impacto no mercado brasileiro, como a Vivenda do Camarão, que também já teve compras efetivadas junto à Peixes da Amazônia.

“Estamos consolidando outras parcerias e isso é o que desejamos, uma vez que, quando há o crescimento dos negócios, há aumento de produção e renda, o que gera mais expectativas de exportação, inclusive para fora do Brasil”, acrescenta Fernando.

O Complexo de Piscicultura dispõe de um centro de alevinagem, uma fábrica de ração e um frigorífico, que tem capacidade de processar até 20 mil toneladas por ano. O empreendimento trabalha atualmente com mais de 30 tipos de cortes de surubim, tambaqui e pirarucu.