Acre discute Economia Verde

Greenovation, da Biominas, convida Estado para apresentar seu modelo de política ambiental

Representado pela chefe do Gabinete Civil, Márcia Regina Sousa Pereira, o Acre destacou-se no evento
Representado pela chefe do Gabinete Civil, Márcia Regina Sousa Pereira, o Acre destacou-se no evento

Representado pela chefe do Gabinete Civil, Márcia Regina Sousa Pereira, o Acre destacou-se no evento

“Uma economia que resulta em melhoria do bem-estar da humanidade e igualdade social, ao mesmo tempo em que reduz significativamente riscos ambientais e escassez ecológica. Em outras palavras, uma economia verde pode ser considerada como tendo baixa emissão de carbono, é eficiente em seu uso de recursos e socialmente inclusiva”. Assim é definida a Economia Verde pela Organização das Nações Unidas (ONU).

O termo está se tornando cada vez mais frequente nas discussões sobre os novos rumos da economia mundial. O fato é que muitas instituições, governos, organizações e empresários estão atentos às estratégias e ações desse novo modelo econômico para acompanhar o que se apresenta como uma mudança necessária.

Com esse olhar, um movimento intitulado de Greenovation Initiative, lançado pela Biominas no último domingo, no Rio de Janeiro, reuniu diversas pessoas que representam esses segmentos para discutir a participação mais ativa do Brasil nesse processo.

Representado pela chefe do Gabinete Civil, Márcia Regina Sousa Pereira, o Acre destacou-se no evento. Com 88% de seu território coberto por floresta e utilizando alternativas e ações da economia verde e sustentável, o Estado apresentou seu amadurecimento em termos de  política ambiental.

De acordo com o IBGE, o Acre foi o Estado que mais reduziu o índice de queimadas e incêndios florestais em todo Brasil: 93% entre 2007 e 2009. Na outra ponta, em 2009, é o quinto lugar no ranking nacional, com a taxa de crescimento acumulado do Produto Interno Bruto (PIB) de 45,7%. São números que reforçam o seu compromisso diante desse novo caminho.

Márcia reforçou que o Estado se destaca pela Política de Valorização do Ativo Ambiental Florestal, a qual fortalece os produtores que conservam a floresta e atua na recuperação de áreas já degradadas. Além disso, apresentou todas as ações do governador Tião Viana, de fortalecimento da economia do Estado com o compromisso ambiental e social. O projeto da piscicultura foi visto com entusiasmo pelos participantes, por ser uma alternativa econômica que envolve pequenos, médios e grandes produtores, em atuação em áreas degradadas.

O que é o Greenovation Initiative

O objetivo do Greenovation, coordenado por Jorge Pinheiro Machado, é dar suporte a organizações públicas e privadas no seu esforço de geração de valor através da adoção de novos processos, produtos e serviços baseados nos princípios da Economia Sustentável e de Baixo Carbono.

Assim, o Greenovation representa no Brasil a rede que une esforços no país, dentro da proposta do R20, que é a continuidade da rede criada pela Cúpula de Governadores do Clima Global (G40), liderada pelo então governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger. O Acre integrou o G40 ainda na gestão do governador Binho Marques.

Ao encerrar seu governo, Schwarzenegger decidiu continuar a mobilização de governos que discute metas e estratégias de combate às mudanças climáticas e traça o curso de uma nova economia verde no mundo, ampliando os agentes desse movimento, agregando empresários, instituições e organizações não-governamentais.

Ao seu lado no trabalho, Schwarzenegger conta com Terri Tamminen, que representou o R20 no lançamento da Greenovation. Apesar de a sigla representar os vinte participantes das regiões (Regions of Climate Action), o R20 possui um número bem maior de integrantes em sua rede, que cresce cada vez mais.

Durante o lançamento da Greenovation, Tamminen disse que a notícia de uma mobilização maior no Brasil deixa-o feliz, por fortalecer esse processo. “Foi um evento emocionante, pois vimos muitas experiências que geraram bons frutos. O Acre mostrou que é um bom exemplo de avanço. Quero muito ir ao Estado, ver tudo isso de perto”, comenta.

Outros olhares

O Fundo Vale, patrocinador do evento, também esteve representado pelo diretor executivo, Ricardo Piquet, e a diretora de projetos, Mirella Sandrini. Ambos falaram dos Estados que hoje apoiam. O Acre é um deles, com o projeto de pecuária verde. “Queremos muito apoiar mais iniciativas, porque percebemos que o Estado está bem mais maduro que outros em relação à sua política ambiental, principalmente por já ter um Zoneamento Ecológico-Econômico consolidado”, disse Sandrini.

O coordenador Jorge Pinheiro disse que o Acre tem em sua história conceitos que defendem uma nova forma de desenvolvimento. “O Acre há mais de 12 anos implanta o conceito e práticas da Economia Verde”, ressaltou.

O cartunista Maurício de Sousa também participou do evento e anunciou seu novo personagem, o Chico Moço. Será uma versão jovem do Chico Bento, que vai trabalhar nos gibis a questão ambiental. Sousa comentou que o Greenovation é uma forma de agregar pessoas que acreditam em um mesmo conceito. Por sua vez, defende em seus gibis a educação ambiental e acredita na riqueza de personagens que existem na Amazônia. O cartunista já esteve no Acre estudando alguns, para um trabalho que pretende desenvolver.

Além do Acre, que mostrou a questão ambiental como política de governo, as prefeituras de Paragominas (PA) e Pardinho (SP) apresentarem modelos de trabalhos bem sucedidos voltados para a Economia Verde. Empresários também tiveram seu espaço. Instituições como a Fundação Dom Cabral, o Instituto Inhotim e o JPM Green Investments integraram o grupo de convidados no lançamento do Greenovation. A instituição promete realizar outros encontros para permitir a troca de experiências, o contato e a consolidação de parcerias entre organizações públicas e privadas que caminham rumo à Economia Verde.